-
15/02/2017 às 09h39

Rio Madeira: Hidrovia pode abrir fronteira agrícola com a Bolívia

Agronegócio
Rio Madeira: Hidrovia pode abrir fronteira agrícola com a Bolívia
A hidrovia do Madeira pode representar um novo ruma nas relações Brasil-Bolívia. (Divulgação)
A ativação da hidrovia do rio Madeira, que irá ampliar a potencialidade de escoamento de produtos através do porto da capital rondoniense, Porto Velho, despertou o interesse em parcerias comerciais entre o estado de Rondônia e o governo boliviano

O diretor da Agência de Bosques da Bolívia, uma espécie de ”IBAMA” boliviano, Rolf Kohler, destacou que após um estudo sobre a capacidade agrícola do Departamento de Beni evidenciou-se a necessidade de um elo com o município de Porto Velho.
 
De acordo com Rolf Kholer, é possível conectar o escoamento da produção agrícola em Beni através da hidrovia do rio Madeira, isso saindo pelo rio Mamoré, chegando até Porto Velho. A abertura dessa fronteira agrícola poderia trazer benefícios para ambos os países, isso dependendo dos acordos que possam ser promovidos entre as partes.
 
“É de suma importância para o Departamento de Beni associar-se ao estado de Rondônia e voltar nosso comércio para o Atlântico”, afirmou Rolf Kohler.
Para o município de Porto Velho e governo do estado, abrir as fronteiras agrícolas através da hidrovia do Madeira pode ampliar a captação de recursos públicos e gerar benesses de reciprocidade fiscal em território boliviano.
 
Porém, o desejo boliviano de parceria com o estado rondoniense esbarra na própria legislação boliviana que impede o avanço das atividades agrícolas em diversas áreas consideradas férteis no Departamento de Beni.
 
Com o fortalecimento da tese de construção de novos portos na região e ampliação do desenvolvimento de produção agrícola, a hidrovia do Madeira pode representar um novo ruma nas relações Brasil-Bolívia.

Originalmente de Portal do Agronegócio