-
14/02/2017 às 15h04

"A prisão do Faiad nos pegou de surpresa" diz presidente da câmara de Cuiabá

Cidade e Cotidiano
Reprodução

Questionado durante sessão ordinária desta terça-feira (14), o presidente da Câmara de Cuiabá, vereador Justino Malheiros (PV), avisou que iria se pronunciar somente através de nota à imprensa sobre a prisão do advogado Francisco Faiad, que exerce o cargo de procurador-geral do Poder Legislativo. Justino afima que não vai fazer qualquer pré-julgamento e que confia nas instituições. Faiad foi alvo da quinta fase da Operação Sodoma, executada pela Polícia Judiciária Civil.

O presidente assegurou que vai aguardar os desdobramentos da operação para que a Mesa Diretora da Câmara possa tomar as providências cabíveis, no caso. “A prisão do doutor [Francisco] Faiad nos pegou de surpresa. A meu ver ele, é uma pessoa idônea e competente. Vamos aguardar os desdobramentos dessa operação para depois tomar as providencias cabível”, argumentou ele, por meio da assessoria de imprensa.

Justino Malheiros afiançou que a Câmara de Cuiabá e os seus membros não têm qualquer ligação com a operação, tampouco são investigados. “Gostaria de deixar claro que a Câmara e nenhum de seus membros têm ligação com essa operação. O fato ocorreu no âmbito do Poder Executivo estadual”,  assegurou Malheiros, no mesmo release.

Francisco Faiad foi nomeado procurador geral da Câmara em 2 de janeiro deste ano, após a posse da atual Mesa Diretora. Ele foi coordenador jurídico da coligação “Um Novo Prefeito, para uma Nova Cuiabá”, liderada por PMDB e PTB, vitoriosa com o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) e seu vice Niuan Ribeiro (PTB).