-
06/02/2017 às 10h56

Alta do PIB de 2017 cai de 0,50% para 0,49%, calcula Focus

Economia
Alta do PIB de 2017 cai de 0,50% para 0,49%, calcula Focus
Reprodução

Para 2018, o mercado elevou a previsão de alta de 2,20% para 2,25%

Em meio à avaliação do Banco Central (BC) de que a atividade segue "aquém do esperado", o Relatório de Mercado Focus indicou leve mudança, para pior, nas projeções de atividade para 2017. Pelo documento divulgado nesta segunda-feira, 6, a mediana para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano passou de alta de 0,50% para avanço de 0,49%. Há um mês, a perspectiva era de avanço de 0,50%.

Para 2018, o mercado elevou a previsão de alta de 2,20% para 2,25%. Quatro semanas atrás, a expectativa estava em 2,30%.

Em janeiro, o Banco Central reduziu a Selic (a taxa básica de juros) de 13,75% para 13,00% ao ano. Uma das principais justificativas para o corte de 0,75 ponto porcentual foi justamente a fraqueza da atividade econômica.

No último Relatório Trimestral de Inflação (RTI), divulgado no fim de dezembro, o BC projetou recuo de 3,3% do PIB em 2016 e avanço de 0,8% para 2017. Já o Ministério da Fazenda trabalha com estimativa de crescimento de 1,0% para este ano.

No relatório Focus desta segunda, as projeções para a produção industrial indicaram um cenário de leve recuperação neste e no próximo ano. O avanço projetado para 2017 seguiu em 1,00%. Há um mês, estava em no mesmo patamar. No caso de 2018, a estimativa de crescimento da produção industrial foi de 2,10% para 2,05%, ante 2,10% de quatro semanas antes. Na semana passada, o IBGE informou que a produção industrial fechou 2016 com recuo acumulado de 6,6% em relação a 2015.

Já a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2017 passou de 50,90% para 51,05% no Focus. Há um mês, estava em 50,67%. Para 2018, as expectativas no boletim Focus seguiram em 55,00%, ante projeção apontada um mês atrás de 54,30%.

Balança comercial

Os economistas do mercado financeiro alteraram suas projeções para a balança comercial em 2017 e 2018. A estimativa de superávit comercial este ano foi de US$ 45,10 bilhões para US$ 46,50 bilhões, ante US$ 46,00 bilhões de um mês antes. Na estimativa mais recente do BC, o saldo positivo de 2017 ficará em US$ 44,00 bilhões.

Para 2018, os economistas do mercado projetam um superávit comercial de US$ 40,50 bilhões, abaixo dos US$ 40,25 bilhões calculados na semana anterior. Há um mês, a expectativa era de US$ 37,20 bilhões.

No caso da conta corrente, as previsões contidas no Focus para 2017 indicaram déficit de US$ 26,50 bilhões, mesmo valor de uma semana antes. Há um mês, o rombo projetado estava em US$ 26,00 bilhões. Já a projeção do BC para o déficit em conta em 2017 é de US$ 28,0 bilhões.

O mercado alterou a estimativa de rombo nas contas externas em 2018, de US$ 35,10 bilhões para US$ 35,50 bilhões. Um mês atrás, o rombo projetado era de US$ 35,00 bilhões.

Para os analistas consultados semanalmente pelo BC, o ingresso de Investimento Direto no País (IDP) será mais do que suficiente para cobrir o resultado deficitário, tanto em 2017 quanto em 2018. A mediana das previsões para o IDP em 2017 seguiu em US$ 70,00 bilhões, mesmo valor de um mês antes. A projeção do BC para este ano é de IDP de US$ 75,00 bilhões.

Para 2018, a perspectiva de volume de entradas de investimento direto, de acordo com o Focus, foi de US$ 71,93 bilhões para US$ 71,96 bilhões, ante US$ 70,50 bilhões de quatro semanas antes.

Com Informações de Estadão Conteúdo