-
06/12/2017 às 13h07

Galli antecipou pauta mundial sobre Jerusalém

Política
Galli antecipou pauta mundial sobre Jerusalém
Foto: reprodução internet

No primeiro semestre de 2017, o deputado federal Victório Galli (PSC/MT) defendeu em discurso no plenário da câmara dos deputados que o Brasil realizasse a mudança da embaixada brasileira em Israel para Jerusalém. Galli sempre reconheceu Jerusalém como a verdadeira capital do Estado de Israel.

Assim a decisão do Governo dos EUA, sob o comando do cristão Donald Trump, é histórica e já deveria ter sido tomada pelo Governo de Michel Temer, destacou Galli.

Nesta quarta-feira (6), o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciará a mudança da embaixada americana em Israel de Tel Aviv para Jerusalém.

“Tenho debatido o tema, mas o Ministério das Relações Exteriores nas mãos de um Ministro comunista, anticristão e antissemita, tornou a agenda impossível de avançar. Aloysio Nunes (PSDB) já fez discurso na Comunidade Israelita, mas mentiu sobre suas reais intenções”, segundo Galli.

E, enquanto isso, o Brasil perde o bonde da história e se alinha aos Globalistas e à Nova Ordem Mundial.

O Brasil tem votado, na ONU, contra Israel, sistematicamente, desde os governos FHC, Lula, Dilma. A postura anti Israel do governo brasileiro se mantém com Aloysio à frente da pasta de relações internacionais. Michel Temer parece se manter inerte diante das atrocidades cometidas pelo seu ministro e por representante da pasta de Direitos Humanos que levou o Brasil a votar, inclusive, a favor do aborto e ideologia de gênero na ONU.

A mudança da sede da embaixada americana em Israel tem levado diversos líderes muçulmanos a se manifestarem contra a mudança. A medida representa algumas incertezas nas relações políticas entre os EUA e o Oriente Médio.

Diante da possibilidade de atos de violência, o Departamento de Estado proibiu diplomatas americanos de irem a Jerusalém e reforçou a segurança em todas as representações dos EUA no Oriente Médio.

Será apresentado um cronograma para a construção da nova sede da embaixada, que deverá ser inaugurada, no máximo, em quatro anos.

Mais uma PROMESSA de campanha de Trump cumprida.

A mudança da embaixada para Jerusalém foi uma promessa de Trump, ainda na campanha presidencial, em 2016.

Em 1995, uma lei aprovada sob o governo do democrata Bill Clinton estabelecia que a Embaixada dos EUA em Israel deveria ser transferida de Tel Aviv para Jerusalém. A lei nunca foi cumprida.

Israel conquistou a porção Oriental de Jerusalém em 1967, anexando-a em seguida e declarando toda a cidade como sua capital. A medida não foi reconhecida nem pelos EUA nem pela comunidade internacional, e a maior parte dos países mantém suas embaixadas em Tel Aviv.

“Jerusalém é historicamente capital de Israel, desde passagens bíblicas, como também diante de achados arqueológicos. O tema é inquestionável”, resumiu o Deputado de direita e Mestre em Teologia Victório Galli. 

Redação com informações Jarbas Aragão/ Gospel Prime /Folha/Uol