-
01/02/2017 às 13h25

Crise vai impor "medidas nem sempre populares", afirma Botelho

Política
Crise vai impor
Foto: Marcus Mesquita/MidiaNews

O deputado estadual Eduardo Botelho (PSB) tomou posse, na manhã desta quarta-feira (1º), como presidente da Assembleia Legislativa (AL-MT) para o biênio 2017-2018, em substituição a Guilherme Maluf (PSDB).

 

A cerimônia foi realizada no Teatro Zulmira Canavarros, ao lado do Legislativo.

 

Em seu discurso, o novo presidente afirmou que a crise econômica do Estado deverá impor à Assembleia "medidas nem sempre populares".

 

Ele ainda usou termos como "economia sobrecarregada" e "momentos preocupantes".


Antes da solenidade de posse, em entrevista coletiva à imprensa, Botelho já havia afirmado que defenderá a liberdade da Assembleia e que irá manter uma relação respeitosa com o Governo do Estado.

 

“Vou defender a Casa, vou defender a liberdade desse Poder, não vou transigir nisso. Teremos uma relação respeitosa com o Governo, de mãos dadas para nós trabalharmos pelo Estado de Mato Grosso”, disse.

 

Botelho também falou da expectativa de ajudar o Estado a passar por esse momento de crise econômica.

 

“Tenho uma expectativa muito grande, temos que trabalhar bastante, temos que ajudar o Estado a sair dessa crise, temos grandes enfrentamentos para fazer aqui nessa Casa e estamos prontos para as discussões”, afirmou.

 

Proximidade com a população (Atualizada às 10h05)

 

Botelho também afirmou que pretende fazer uma gestão ainda mais próxima da população do Estado.

 

Ele citou, por exemplo, que dará continuidade ao projeto Assembleia Itinerante.

 

“Vamos continuar com esse projeto mais fortemente. Queremos levá-lo para os municípios e também para os bairros de Cuiabá. Por que não fazer uma sessão no Pedra 90, no Jardim Vitória, nos bairros de Várzea Grande? Esse vai ser nosso objetivo: levar Assembleia para mais perto do cidadão”, disse.


Autoridades acompanham a posse (Atualizada às 10h15)

 

Várias autoridades acompanham a cerimônia de posse.

 

Entre os presentes, estão o governador Pedro Taques (PSDB), o vice Carlos Fávaro (PSD), o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Rui Ramos, o procurador-geral de Justiça, Paulo Prado, o presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Antônio Joaquim, e o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (PMDB).

 

A prefeita de Chapada dos Guimarães, Thelma de Oliveira (PSDB), representa a Associação Mato-Grossense dos Municípios (AMM). Os secretários de Estado de Infraestrutura, Marcelo Duarte, e de Cidades, Wilson Santos (PSDB), acompanham a solenidade.

 

Também o compõem a mesa de autoridades o secretário de Assuntos Estratégicos de Várzea Grande, Jaime Campos (DEM), os deputados federais Nilson Leitão (PSDB), Fabio Garcia (PSB) e Victório Galli (PSC), além dos deputados estaduais Ondanir Bortolini, “Nininho” (PR), e Wagner Ramos (PR).

 

Maluf cita “sensação de dever cumprido” (Atualizada às 10h27)

 

Já durante a cerimônia, o deputado Guilherme Maluf, que deixa a presidência, afirmou ter a certeza de que Botelho dará continuidade a seu trabalho à frente do Legislativo.

 

Maluf afirmou também que deixa o comando da Casa com “a sensação de dever cumprido”.


O tucano listou uma série de ações e pautas enfrentadas por ele nos últimos dois anos.

 

“Minha gestão deu mais transparência ao Legislativo. Empossamos mais de 240 servidores, pagamos a RGA [Revisão Geral Anual] da Assembleia, demos auxílio alimentação, modernizamos a Casa”, disse.

 

“Nossa gestão não fugiu das responsabilidades, como a discussão da RGA dos servidores. Devolvemos R$ 20 milhões ao Governo do Estado para aquisição de ambulâncias aos municípios. Instauramos mais de 5 CPIs”, afirmou.

 

Maluf disse ainda que irá continuar sua luta como primeiro-secretário da Casa, função que ele passa a ocupar a parte de hoje.

 

Por fim, desejou sorte a seu sucessor.

 

Novo presidente toma posse (Atualizada às 10h32)

 

Logo após assinar o termo de posse como presidente do Legislativo, Botelho passou a comandar a solenidade.

 

Ele então deu posse aos demais membros da Mesa Diretora, eleita em setembro de 2016.

 

Foram empossados Guilherme Maluf como como primeiro-secretário, Gilmar Fabris (PSD) como vice-presidente, Max Russi (PSB) como segundo vice-presidente, Nininho como segundo secretário, Baiano Filho (PSDB) como terceiro secretário e Silvano Amaral (PMDB) como quarto secretário.

 

Presidente do TJ pede união de Poderes (Atualizada às 10h46)

 

O presidente do TJ, desembargador Rui Ramos, manifestou apoio ao novo presidente.

 

Ele disse ter a certeza que Botelho vai fazer uma boa gestão e pediu um trabalho em conjunto entre os Poderes, “pelo bem da sociedade”.


"As dificuldades são as maiores motivações do nosso trabalho", disse o presidente.

 

Garcia cita trajetória de Botelho (Atualizada às 10h54)

 

O deputado federal Fabio Garcia (PSB), em seu discurso, parabenizou o deputado Guilherme Maluf, pelos dois anos em que esteve à frente do Legislativo. Ele ainda lembrou a trajetória de Botelho, que já trabalhou em feira pública, já foi vendedor de jornal, trabalhou como professor, entre outras atividades, até chegar à presidência da AL.

 

Ele disse que Botelho assume a presidência, pois tem uma história de destaque e que demonstra confiança.      

    

"Tenho convicção que suas qualidades o ajudaram para ter a confiança dos colegas parlamentares e chegar até à presidência", afirmou.     

 

“Quero dizer que o senhor terá o apoio da bancada federal de Mato Grosso para os trabalhos dessa Casa e para o Estado, para que juntos possamos fazer enfrentamentos para que esse Estado possa intensificar seu caminho de desenvolvimento”, disse.

 

Governador fala da importância da Assembleia (Atualizada às 11h12)

 

O governador Pedro Taques disse que sabe, como chefe do Executivo, da importância do Legislativo e principalmente da importância da bancada de oposição.

 

"Por isso rendo minhas homenagens à oposição, uma oposição leal, decente", disse.

 

“Todos os dias em que há sessão, ligo TV Assembleia e fico assistindo. Sei da importância de cada crítica”, afirmou.

 

Taques afirmou que as conquistas do Poder Executivo, nestes dois anos de gestão, tiveram a contribuição da Assembleia.

 

“Em dois anos, foram 1.430 km de estradas pavimentadas, 3.550 novos profissionais da segurança, 204 novas UTIs, escolas reformadas, pontes realizadas, 100 mil atendimentos na Caravana da Transformação, 10 mil cirurgias realizadas na Caravana. Isso não foi feito por um só homem, só pelo Poder Executivo. Mato Grosso somos todos nós. Mato Grosso precisa de todos nós”, disse.

 

Discurso de posse (Atualizada às 11h50)

 

Em seu discurso de posse, o novo presidente da Assembleia Legislativa disse que os “momentos preocupantes” vividos pelo Estado vão exigir sacrifícios nos próximos meses.

 

“As economias sobrecarregadas com a crise política e econômica nacional, entre outras consequências, nos imporão condutas nem sempre populares”, afirmou Eduardo Botelho.

 

Nas próximas semanas a Assembleia deve votar medidas de austeridade do Governo, como o projeto de lei que congela gastos pelos próximos dez anos, inclusive com a proibição de se elevar salários.

 

Sucessor de Guilherme Maluf (PSDB) no comando do Legislativo, Botelho permanecerá à frente do Poder pelos próximos dois anos.

 

Botelho, que estou em seu primeiro mandato, lembrou de sua trajetória antes de entrar para a política.

 

“Quem assume essa cadeira é o agricultor, o feirante, o engenheiro, professor, o empresário. Atividades que exerci e que ainda pulsam dentro mim. Por isso, digo com orgulho:  sou do povo”, afirmou.

 

O deputado disse ainda que uma das marcas que pretende imprimir em sua gestão será a busca “permanente pelo diálogo franco e objetivo”. Segundo ele, tal posicionamento é o “caminho seguro para a construção de um consenso político e legislativo”.

 

“Digo ao Governo que somos parceiros para discutir os projetos de interesse, mas também vamos exigir que os deputados sejam ouvidos. Tratarei o Executivo com a cortesia e seriedade necessária. Mas não transigirei na defesa da nossa Casa e da nossa independência institucional”, afirmou.