-
17/12/2016 às 19h36

STF quebra sigilo bancário do diretório nacional do DEM

Política
STF quebra sigilo bancário do diretório nacional do DEM

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a quebra do sigilo bancário do diretório nacional do DEM e do sigilo telefônico do senador José Agripino Maia, presidente do partido; do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro; e de um primo de Agripino, Raimundo Alves Maia Júnior.

Segundo O Globo, a quebra dos sigilos vai de 1º de janeiro de 2012 a 31 de dezembro de 2014 e atende à solicitação do Ministério Público Federal (MPF).

Nos telefones do ex-presidente da OAS foram descobertas mensagens que indicam a troca de ajuda na liberação de recursos de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) para a construção da Arena das Dunas, em Natal, para a Copa do Mundo de 2014.

O MPF afirma que Agripino liberou o empréstimo com o BNDES e, em 2014, a OAS doou R$ 500 mil ao diretório nacional do partido.

O senador nega as acusações e diz que tanto ele quanto o partido não têm nada a esconder.

Como líder da oposição, eu não tinha acesso de espécie alguma ao BNDES Que força teria eu para fazer ao BNDES um pedido em nome de uma empresa? Sempre me coloquei à disposição dos órgãos de investigação. Nem eu nem o DEM temos nada a esconder, e queremos que as investigações sejam feitas, porque vão concluir pela improcedência das denúncias."

O ministro já tinha determinado a quebra dos sigilos bancário e fiscal de Agripino, de seu filho, o deputado Felipe Maia (DEM-RN), e de mais 14 pessoas em abril deste ano.