-
28/01/2017 às 19h19

Taques acredita em aprovação e fala em "vingança" de deputada

Política
Taques acredita em aprovação e fala em
Foto: Marcus Mesquita/MidiaNews

Opositora pediu vistas de balancete relativo ao exercício de 2015 e apontou irregularidades

O governador Pedro Taques (PSDB) disse que ações da deputada de oposição Janaina Riva (PMDB) contra seu Governo podem ser consideradas como uma "vingança política" por conta das disputas eleitorais dos últimos anos.


A parlamentar, no início de janeiro, pediu vistas das contas de Taques, relativas ao exercício de 2015, e apontou algumas irregularidades, como o estouro da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) em gastos relacionados à folha salarial, o aumento da renúncia fiscal e até o não-cumprimento de metas estabelecidas na Lei Orçamentária Anual (LOA) daquele ano.


Mesmo com os apontamentos feitos pela opositora, o governador disse que não teme pela reprovação de suas contas na Assembleia Legislativa.


"Graças a Deus nós temos oposição. Ela faz parte da democracia. Oposição tem que fazer oposição e fiscalizar", disse Taques, na manhã deste sábado (28), durante a 4ª edição da Caravana da Transformação, realizada em Jaciara (140 Km ao Sul de Cuiabá).


"Nós confiamos na nossa base e no líder Dilmar Dal'Bosco [DEM]. Aqueles que querem fazer revanchismo, vingança política é outra coisa", completou.


Taques ainda declarou que o papel de oposição, liderada por Janaina, é natural.


O governador ressaltou ainda que a oposição é o lugar certo para o grupo de Janaina.


"Isso faz parte do jogo democrático. Na eleição, o povo disse o seguinte: 'Aqueles que administraram no passado têm que ir para a oposição, e têm que ficar lá mesmo, onde é o lugar deles", completou.


Voto pela reprovação


Na última quinta-feira (26), a deputada Janaina Riva afirmou ao MidiaNews que não irá pedir a reprovação das contas do governador.


Segundo a parlamentar, as contas serão devolvidas no retorno das atividades legislativas, marcado para 2 de fevereiro.


"Vou devolver assim que voltar. Vou fazer um relatório aos colegas e uma explanação daquilo que nas contas estão constando como faltas, erros graves. Não vou pedir a reprovação das contas. Respeito a análise do TCE, mas quero pontuar quais são os erros para que não se repitam”, disse.


No entanto, nos bastidores a informação é de que a parlamentar possa ter um posicionamento diferente: votar pela reprovação das contas e ainda tentar convencer os demais deputados de oposição a acompanharem seu entendimento.