-
28/12/2016 às 11h31

Temer diz que operação em gráficas não preocupa; Defesa de Dilma nega irregularidades

Política
Temer diz que operação em gráficas não preocupa; Defesa de Dilma nega irregularidades
Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

A Polícia Federal cumpriu nessa terça-feira mandados de busca e apreensão em 20 endereços em São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina.

 

O ministro Herman Benjamin, relator do processo no TSE, autorizou a quebra de sigilo fiscal de 15 pessoas físicas e jurídicas que, segundo ele, demonstraram indícios de irregularidades nos dispêndios eleitorais. Mas os nomes dessas pessoas não foram divulgados pelo TSE por questão de sigilo.

 

A ação que motivou a investigação foi apresentada pelo PSDB pra questionar as contas da campanha eleitoral de Dilma e Temer em 2014, aprovadas por unanimidade, mas com ressalvas no TSE.

 

O processo foi reaberto e o PSDB pede a cassação da chapa Dilma-Temer. Há a expectativa de que a ação seja julgada pelo Tribunal no primeiro semestre de 2017.

 

O presidente Michel Temer falou sobre a operação durante evento que participou em Maceió.

 

Em resposta à operação, a defesa de Dilma divulgou nota garantindo que todas as empresas contratadas pela chapa Dilma-Temer, atenderam aos requisitos legais de regularidade jurídica e de capacidade operacional, com a integral prestação dos serviços contratados, e que foram respeitados os critérios de preço de mercado, qualidade, quantidade do produto e prazo de entrega.

 

A defesa de Dilma questionou ainda o momento da realização da operação e disse que causa perplexidade, decorridos quase dois anos de intensa investigação pelo TSE, que seja proferida decisão judicial, a ser cumprida no período de recesso do Poder Judiciário e sem qualquer fundamento de urgência.

 

A nota é assinada por Flavio Caetano, advogado de Dilma Roussef.