-
11/09/2017 às 00h53

Santander emite nota e não convence: A emenda saiu pior que o soneto

Brasil
Santander emite nota e não convence: A emenda saiu pior que o soneto
Arte Exata News
Na noite do dia 10 de setembro, o Banco Santander publicou em sua página no facebook uma Nota de Esclarecimento que chamou muita atenção de todos os brasileiros. Qualquer cidadão consciente e sensível pode destacar a Nota como: mecânica; ideológica; auto piedosa; insensível; materialista; arrogante; e desonesta intelectualmente.

O Banco Santander deixou claro que vacilaram, mas a vacilada foi no sentido de terem sido descobertos, não no sentido de terem aderido ao gramscismo nefasto e destruidor da civilização ocidental.

 Os executivos e a equipe de marketing deixaram claro que defendem as mesmas posições e não irão parar de defender, porém mudarão a estratégia para não serem descobertos facilmente. O Banco, em Nota, pede desculpas cínicas; não quer sua marca atrelada à pedofilia, à zoofilia e ao anticristianístico, pois clientes iniciaram uma maratona para fechamento de contas.

No dia 8 de setembro, os executivos do Banco ainda tentaram defender a exposição e salvar o projeto “cultural”, numa clara demonstração de que não se intimidaram com as críticas e que continuariam apresentando as obras em Porto Alegre.

Com essa nota (8), o Banco tentou culpar, de forma cretina, a “mente fechada” daqueles que condenavam a apologia à prostituição, zoofilia, pedofilia, pornografia.
Juntamente com a primeira Nota de Esclarecimento, publicaram uma foto em perspectiva do salão principal da exposição, onde não é possível visualizarmos as obras, com isso impossibilitando destacarmos as mensagens de pedofilia, zoofilia etc. Neste primeiro momento, tentaram ludibriar os internautas e clientes com a linda foto do museu.

Numa tradução simples, tentaram dizer que na referida exposição não havia nada de pedofilia, já que o Banco não defende essa prática. Registraram, mesmo que sutilmente, a defesa à ideologia de gênero; marxismo cultural; profundas mudanças de pensamento da sociedade; defesa do pensamento revolucionário e progressista; além de um singelo, porém claro, repúdio ao pensamento cristão e conservador.

No dia 9 de setembro, a página do Santander Cultural foi ocultada, a agência de publicidade responsável utilizou uma ferramenta disponível no facebook e retirou a página do ar.

No dia 10 de setembro, no final da tarde de domingo, a página retornou ao ar com uma segunda Nota de Esclarecimento. Agora, com uma pequena mudança no tom e nas decisões do Grupo Santander. Nosso editorial estudou a Nota e destacou pontos dos esclarecimentos que precisam ser esclarecidos a todos.
Numa tradução simples, do “pedido de desculpas” do Banco, realizamos alguns destaques importantes. Vejamos:
 
NOTA SOBRE A EXPOSIÇÃO QUEERMUSEU

Nos últimos dias, recebemos diversas manifestações críticas sobre a exposição Queermuseu - Cartografias da diferença na Arte Brasileira, inaugurada em agosto no Santander Cultural. [TRADUÇÃO: Estamos surpresos com as críticas injustas ao importante trabalho cultural que estamos realizando]

Pedimos sinceras desculpas a todos os que se sentiram ofendidos por alguma obra que fazia parte da mostra. [TRADUÇÃO: Estamos desesperados e não queremos perder nossos clientes. Pedimos desculpas a vocês, somente a vocês conservadores que se sentiram ofendidos, pois aqui na Diretoria do Banco ninguém se sentiu ofendido]

O objetivo do Santander Cultural é incentivar as artes e promover o debate sobre as grandes questões do mundo contemporâneo, e não gerar qualquer tipo de desrespeito e discórdia. Nosso papel, como um espaço cultural, é dar luz ao trabalho de curadores e artistas brasileiros para gerar reflexão. [TRADUÇÃO: Imagens em defesa da pedofilia, prostituição, zoofilia, profanação de símbolos cristãos são formas de promover o debate e a reflexão sobre o mundo moderno]

Sempre fazemos isso sem interferir no conteúdo para preservar a independência dos autores, e essa tem sido a maneira mais eficaz de levar ao público um trabalho inovador e de qualidade. [TRADUÇÃO: Vocês cristãos conservadores retrógrados é que não estão preparados para esse trabalho inovador e de qualidade]

Desta vez, no entanto, ouvimos as manifestações e entendemos que algumas das obras da exposição Queermuseu desrespeitavam símbolos, crenças e pessoas, o que não está em linha com a nossa visão de mundo. [TRADUÇÃO: Estamos realmente desesperados, não podemos perder nossos clientes, mesmo vocês que possuam crenças diferentes das nossas, fazemos questão de manter suas contas em nosso Banco]

Quando a arte não é capaz de gerar inclusão e reflexão positiva, perde seu propósito maior, que é elevar a condição humana. [TRADUÇÃO: Nós, do Banco Santander, tentamos levar um pouco de cultura progressista para todos, mas ficou claro que os brasileiros não estão preparados para um trabalho de tamanha grandeza e riqueza cultural, por isso decidimos retirar a exposição]

O Santander Cultural não chancela um tipo de arte, mas sim a arte na sua pluralidade, alicerçada no profundo respeito que temos por cada indivíduo. Por essa razão, decidimos encerrar a mostra neste domingo, 10/09. Garantimos, no entanto, que seguimos comprometidos com a promoção do debate sobre diversidade e outros grandes temas contemporâneos. [TRADUÇÃO: Aqui, deixamos claro que não iremos mudar nossa linha de pensamento progressista. Vocês são os responsáveis pela retirada de um grande trabalho artístico e inclusivo, pois são retrógrados, ignorantes e rancorosos. Garantimos, no entanto, que em breve iremos realizar outro trabalho em defesa da ideologia de gênero, diversidade, progressismo, anticristianístico. Contudo seremos mais cuidadosos para que ninguém perceba. Obrigado]





ROBERVAL DE OLIVEIRA CARDOSO

Eu como cidadão Brasileiro , assim como a maioria dos brasileiros que são cristãos, exige respeito quanto cidadão, por suas escolha de fé e direito de livre expressão para protestar contra tudo que ofende nossa cultura, e a forma de manifestar nossass escolholhas, e não é uma mutinacional que irá tirar o dereito de livre escolha , e ofender dizendo que o povo é conservador e retrágado, por isso qualquer instituição financeira ou não tem a obrigação de respeitar a cultura de um povo de qualquer país que o acolheu como investidor no mercado de capitais .

14/09/2017 20:43

Lex

Por que pseudo artistas sempre acham que são ousados ao vilipendiar símbolos cristãos? Se são realmente corajosos porque não brincam um pouco com o Islã? Cristãos são tolerantes. Até demais eu diria. E nem sou cristão.

14/09/2017 06:52

Marta

E o meu dinheiro sustentando essa imundície. =/

13/09/2017 02:20