-
07/01/2017 às 13h17

China constrói telescópios modernos no Tibete para estudar ondas gravitacionais

Tecnologia
China constrói telescópios modernos no Tibete para estudar ondas gravitacionais
reprodução

A China deu início à instalação de telescópios na Região Autônoma do Tibete para estudar ondas gravitacionais.


Segundo comunicou neste sábado (7) a agência Xinhua, citando o cientista sênior do Observatório Astronômico Nacional da China (NAOC) junto à Academia Chinesa de Ciências, Yao Yongqiang, a construção do primeiro telescópio Ngari-1 foi iniciada a 30 km do povoado Shiquanhe, na prefeitura de Ngari. O projeto inclui duas etapas.


Como esclareceu Yao Yongqiang, o telescópio será instalado a altura de 5.250 metros do nível médio do mar. Após iniciar o funcionamento, previsto para 2021, o telescópio vai vigilar e recolher dados pormenorizados sobre as ondas gravitacionais no Hemisfério norte. Além disso, no futuro, os cientistas chineses planejam criar uma série de telescópios Ngari-2 no âmbito da segunda fase do projeto. Estes aparelhos serão instalados a 6 km do nível do mar, embora a data da instalação ainda não tenha sido revelada. 


O orçamento de todo o projeto é estimado em 18,8 trilhões de dólares. No final de fevereiro de 2016, foi comunicado o interesse da China em especialistas para o estudo das ondas gravitacionais. O salário proposto pela nação chinesa correspondia a 153 mil dólares, de acordo com o núncio.


A descoberta das ondas gravitacionais, um dos acontecimentos mais importantes na historia da ciência, confirmou as antigas previsões relacionadas à teoria de relatividade de Albert Einstein.


As respectivas ondas foram verificadas em 14 de setembro de 2015 pelos detectores do observatório de gravitação LIGO, nos estados de Luisiana e Washington.