-
19/08/2021 às 14h19

‘A gestão da saída do Afeganistão é a maior vergonha da história’, diz Trump sobre Biden

Mundo
‘A gestão da saída do Afeganistão é a maior vergonha da história’, diz Trump sobre Biden

O ex-presidente norte-americano Donald Trump afirmou nesta quarta-feira (18) que a retirada do Afeganistão administrada pela atual gestão federal antes da tomada de Cabul pelo grupo terrorista islâmico Talibã é “a maior vergonha” da história dos Estados Unidos.


“A saída [das tropas] do Afeganistão [por parte] dos Estados Unidos é uma questão muito importante, mas ninguém lidou com uma retirada pior do que Joe Biden”, disse Trump durante uma entrevista à Fox News. “Considero a maior vergonha da história do nosso país”, acrescentou.

 

Ele também descreveu a decisão do ex-presidente George W. Bush de entrar no Afeganistão como “a pior” para o país. “Foi uma decisão horrível ir para a região do Oriente Médio”, disse ele. “Sei que a família Bush não ficará feliz, mas acho que foi a pior decisão”, declarou.


O ex-mandatário se lembrou de seu acordo com o Talibã, que teria apoiado “com força” no lugar de Biden. Nesse sentido, ele deixou uma mensagem para o Talibã caso um americano fosse ferido: “Vamos bater em você com uma força com a qual nenhum país foi atingido antes”.

 

Em recentes declarações, Trump tem defendido que, durante as negociações de sua gestão com o Talibã, “eles trabalharam muito” e que ele próprio falou em várias ocasiões com os líderes do grupo. O magnata ainda elogiou o trabalho do ex-secretário de Estado Mike Pompeo.


Outra crítica a Biden é que o republicano teria evacuado em primeiro lugar os civis e o pessoal da embaixada “em vez dos militares”, disse ele.


O ex-vice-presidente Mike Pence também aderiu às críticas ao atual presidente, com um artigo publicado no “Wall Street Journal”. O republicano chamou a retirada do Afeganistão como “uma humilhação de política externa diferente de tudo que já experimentamos antes”.


“Envergonhou os Estados Unidos no cenário mundial, fez os aliados duvidarem de nossa confiabilidade e encorajou os inimigos a testar a nossa determinação”, escreveu.