-
09/05/2019 às 09h03

'Queimem a sala dele', diz aluno esquerdista sobre professor conservador

Brasil
'Queimem a sala dele', diz aluno esquerdista sobre professor conservador
Reprodução Internet

Rodrigo Jungmann (53), professor de Filosofia na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), conhece bem a sensação de ser perseguido por sua posição política. Alvo de vários ataques de alunos de esquerda, o pernambucano dessa vez se deparou com uma incitação de crime contra ele.


Segundo a Gazeta do Povo, o estudante responsável pela incitação é Bruno Soares de Araújo, que faz pós-graduação na universidade. Ainda segundo o site, Bruno pediu para que outros alunos queimassem a sala do professor: “queimem a sala dele!!! Tá na hora dele sofrer nessa pele adiposa o que intolerância de perto”, escreveu o militante.


Entrei em contato com Jungmann para esclarecer o caso. O professor confirmou as ameaças e afirmou: “esse caso representa a intolerância típica dos falsamente tolerantes da esquerda. Eu vou estudar a possibilidade de ação judicial, embora o comentário tenha sido apagado pelo autor, que se recusou a comentar o caso tanto com a Folha de S. Paulo quanto com a Gazeta do Povo”, disse.




Jungmann acrescentou: “isso é mais um de uma sequência já rotineira de eventos do gênero, com perseguição sistemática a mim, por ser contrário à esquerda em geral, e ao marxismo em particular”.




Em 2016, o professor teve sua sala apedrejada e vandalizada por criminosos comunistas por ter opiniões conservadoras.


Tentamos contato com Bruno Soares, mas até o fechamento desta matéria não obtivemos resposta.