-
20/11/2020 às 15h01

’Queremos proteger nossas raízes cristãs’, diz Hungria

Mundo
’Queremos proteger nossas raízes cristãs’, diz Hungria

“Queremos manter o casamento como um vínculo entre homem e mulher”, diz ministra húngara.

Um novo capítulo na relação conflituosa entre o governo direitista da Hungria e a União Europeia está acontecendo neste exato momento. 

Uma cláusula apresentada pela Alemanha, atualmente na Presidência rotativa da UE, vincula o respeito ao Estado de Direito ao repasse de fundos trilionários do novo orçamento plurianual e do pacote de reconstrução pós-pandemia de coronavírus.  

Assim como a Polônia, a Hungria acredita que a cláusula é uma estratégia dos burocratas da UE para pressionar nações que não estão alinhadas com o globalismo. 

A ministra húngara da Justiça, Judit Varga, indicou, nesta quinta-feira (19), que a UE está tentando prejudicar a Hungria por causa da sua restrita política migratória: 

“Eles já começaram com a declaração de que podem impor sanções financeiras a um Estado membro que não se enquadre no ‘mainstream’ em áreas como migração, família ou ideologias multiculturais.” 

Varga acrescentou: 

“A nossa posição em relação à chantagem ideológica de Bruxelas é clara e inequívoca: queremos proteger as nossas raízes cristãs. Não queremos uma sociedade multicultural. Queremos manter o casamento como um vínculo entre homem e mulher.”