-
25/07/2018 às 13h09

Alunos lutam por um valor honesto para o 'RU' da UFMT

Cidade e Cotidiano
Alunos lutam por um valor honesto para o 'RU' da UFMT
Foto reprodução Facebook/UFMT

No dia 20 de fevereiro os estudantes ficaram sabendo que a reitoria iria aumentar o valor da bandeja no "RU" que passaria para R$ 11 reais, esse aumento pegou todos os alunos que dependem do "RU" de surpresa, pois a renda de muitos é extremamente baixa e com qualquer mudança no orçamento já os colocaria em uma situação completamente adversa e fora de contexto.


Em resposta ao aumento abusivo no Restaurante Universitário (RU) da UFMT, alunos ocuparam o complexo universitário e assim contra esse aumento estonteante eles lutam contra a reitoria da UFMT para que esse aumento não seja decretado.


Os estudantes afirmam que a reitora da UFMT não está agindo de forma honesta com os alunos que ali estudam, deixando bem claro que não haverá acordo com os alunos sobre o valor no RU.


Os alunos de diversos cursos afirmam que muitos vivem com uma renda muito baixa e consequentemente não conseguiram almoçar por conta desse aumento exorbitante proposto pela reitoria da UFMT.


O valor da bandeja no "RU" da UFMT está custando R$ 1 (Real) dês de 1994 que o valor está estabilizado.


O aditivo de 2018 foi firmado em contrato recentemente com a UFMT somando a quantia de R$ 22 milhões, esse valor foi apresentado em audiência pública no início de 2018, realizado pela reitoria da UFMT, e dês de então estão usando como justificativa para o aumento das refeições no “RU” da UFMT.


Fazendo uma leve retrospectiva sobre esses aditivos, presenciaremos o agigantamento dos valores, vejamos; em 2015 o governo federal enviou 4 Milhões para a UFMT e tão logo firmaram compromisso com uma empresa de um empresário já conhecido no meio político em mato grosso e que é sócio de um Buffet muito bem-conceituado na capital, e em 2016 a demanda mais que duplicou passando de R$ 4 milhões para R$ 9 milhões, e em 2017 o já tinha ultrapassado os R$ 11 milhões.


Esse ano haverá mais uma audiência pública para firmar outro contrato “aditivo” de prestação de serviço junto ao "RU" que ainda será apresentada à reitoria da UFMT.


O que deixa as coisas mais interessante é que em 2017 o governo federal liberou em torno de R$ 1,6 milhões para que a UFMT pudesse reformar a cozinha do RU e assim amplia-la para também aumentar o cardápio para os estudantes.


Seria mais um jogo sórdido de algumas pessoas do meio político em Mato Grosso, ou mesmo um caso isolado?

Solange

PARABÉNS PELO TEXTO, BEM INFORMATIVO E COM CERTEZA EXPLICA BEM.A SITUAÇÃO DOS ESTUDANTES QUE NECESSITAM DESSA ÚNICA REFEIÇÃO .

28/07/2018 13:07