-
02/06/2017 às 11h00

Anorexia e Bulimia: 9 verdades sobre os distúrbios alimentares

Saúde
Anorexia e Bulimia: 9 verdades sobre os distúrbios alimentares
Reprodução

Os distúrbios de alimentação, como anorexia e bulimia, atingem cerca de três milhões de italianos. Segundo a Sociedade Italiana de Pediatria (SIP), os problemas geralmente começam a se desenvolver em crianças, na faixa de oito a 10 anos de idade, mas os sintomas podem ficar escondidos por décadas.

Jovens que tiveram anorexia ou bulimia, juntos de seus familiares e profissionais da saúde, criaram o Dia Mundial dos Distúrbios Alimentares. A iniciativa, promovida pela Academy of Eating Disorders, é celebrada hoje (2).

Diversos eventos estão programados para acontecer ao longo do dia nos vários países do mundo que aderiram à causa. 

Neste ano, a Associação Nacional dos Distúrbios de Comportamento Alimentar (ConsultaNoi), divulgou uma lista com nove fatos sobre a doença, a fim de sensibilizar instituições e incentivar mais profissionais da saúde a participarem do evento. Além disso, está promovendo uma campanha nas redes sociais usando as hashtags #WedoActTogether e #WorldEatingDisordersDay.

Confira as "9 verdades sobre os distúrbios alimentares", segundo a ConsultaNoi:

1 - Muitas pessoas com distúrbios alimentares parecem saudáveis, mas elas podem estar extremamente doentes;

2 - Famílias não devem ser culpadas, e podem ser os melhores aliados durante o tratamento;

3 - Um distúrbio alimentar pode ser diagnosticado por meio de crises de saúde que prejudicam a vida pessoal e familiar;

4 - Distúrbios alimentares não são escolhas, mas doenças sérias biologicamente influenciadas;

5 - Distúrbios alimentares afetam pessoas de todos os gêneros, idades, raças, etnias, pesos, orientações sexuais e classes sociais;

6 - Distúrbios alimentares carregam um grande risco de complicações médicas e até suicídio;

7 - A relação entre genes e ambientes tem papel iimportante no desenvolvimento de distúrbios alimentares;

8 - Não é possível prever, apenas por meio da genética, quem irá desenvolver distúrbios alimentares;

9 - É possível se recuperar completamente de um distúrbio alimentar. Intevenções e diagnósticos rápidos são importantes. 

(ANSA)