-
18/09/2017 às 18h47

Após o Santander, agora é a vez de um Shopping cuiabano promover pornografia para crianças

Cidade e Cotidiano
Após o Santander, agora é a vez de um Shopping cuiabano promover pornografia para crianças
Reprodução

Na manhã desta segunda-feira (18) viralizou imagens de uma nova exposição de “arte” com pornografia e apologia às drogas. Agora foi a vez do Pantanal Shopping abrigar uma exposição de cunho marxista. Com claro objetivo de chocar a população, as obras apresentam cenas de sexo explícito, uso de drogas e uma escultura formado por fotos de órgãos genitais.


No período da tarde, do mesmo dia, o repórter Arthur Garcia esteve no local para conversar com os responsáveis pela Exposição. No local, foi informado que os responsáveis eram contra a retirada das obras consideradas em apologia às drogas, homossexualidade e pornografias, porém foi afirmado que as telas e a escultura já haviam sido retiradas. 


Um dos responsáveis pela exposição, não quis se identificar. Reafirmou que as obras foram retiradas após repercussão negativa; e que não havia nenhuma restrição para crianças ou classificação de idade, nem mesmo a cobrança de ingresso para visitação.


Em uma das telas, dois homens aparecem em cenas de sexo explícito e fazendo uso de drogas, como “lance perfume” e “crack”. Nessa obra de “arte”, aparecem as descrições “Crack is wack”, numa alusão ao êxtase causado pela droga, um claro incentivo ao sexo e ao uso de drogas.


Em junho de 2016, Cuiabá protagonizou outro embate. Na ocasião, foi a vez do Goiabeiras Shopping, o mais antigo e tradicional da capital mato-grossense, patrocinar uma exposição pornográfica e considerada profana. Ficaram expostas, durante vários dias, pelos corredores do Shopping, de livre acesso de crianças e adultos, fotos com nudez explícita. Em algumas telas, haviam fotos em frente à duas das mais antigas e tradicionais Igrejas Católicas de Mato Grosso, nesses locais estava exposta uma mulher nua e com chifres. Sob olhar mais atento, a exposição propagava a prostituição, libertinagem sexual, e até mesmo ao ocultismo, pela junção macabra de mulheres explicitamente nuas, com cornos de animais mortos. Essa exposição foi patrocinada, naquele momento, pelo Goiabeiras Shopping, Assembleia Legislativa de Mato Grosso e Prefeitura de Cuiabá.


Em 2016, após repercussão negativa, o Shopping Goiabeiras decidiu encerrar a exposição. Dias depois, a OAB-MT decidiu receber a exposição do fotógrafo Tchélo Figueiredo. 


Há poucos dias, o Banco Santander patrocinou a exposição “Queermuseu” com apologia à Pedofilia, Zoofilia, Prostituição e Profanação cristã. O fato gerou indignação de cristãos por todo o país e consequente boicote à instituição financeira.




Gracy

Não vou mais c m família la

20/09/2017 15:51

Marcos

Tem que ser preso pois tudo que pornografia sem ter um restrição de idade e um crime

19/09/2017 14:19