-
12/04/2019 às 11h37

Cartomantes executadas publicamente na Coreia do Norte por 'comportamento anti-socialista'

Mundo
Cartomantes executadas publicamente na Coreia do Norte por 'comportamento anti-socialista'
Reprodução internet

Segundo a RFA (Rádio Free Asia), autoridades norte-coreanas executaram publicamente duas cartomantes em março e forçaram dezenas de milhares de pessoas a assistirem na cidade de Chongjin. A Coreia do Norte é um país comunista muito isolado, onde muitas coisas acontecem que não são de conhecimento sequer dos países vizinhos.


Uma fonte anônima disse à RFA que “julgamentos públicos e execuções foram retomados este ano, com as autoridades judiciais realizando esses julgamentos em vários locais por motivos de manutenção da ordem social”. A tal fonte disse que as execuções públicas “chocaram” os moradores de Chongjin, na província de Hamgyong do Norte, que faz fronteira com a China.


De acordo com o relato, as execuções públicas foram projetadas para impedir que autoridades norte-coreanas procurassem adivinhos e adotassem um comportamento “supersticioso”. As autoridades norte-coreanas estariam querendo eliminar o “comportamento anti-socialista”, indo atrás de adivinhos.


A adivinhação tornou-se bastante popular no país comunista. Segundo informações, mesmo altos funcionários do governo e as famílias das autoridades judiciais costumam visitar adivinhos.


Execuções públicas, juntamente com tortura, trabalho forçado e prisões arbitrárias são usadas para manter um ambiente de medo e controle, diz um relatório de 2017 da Human Rights Watch.