-
04/05/2021 às 10h19

Cidade-fantasma no coração da Amazônia

Brasil
Cidade-fantasma no coração da Amazônia

Uma das cidades-fantasma mais famosas do Brasil chama-se Velho Airão. 


Localizada às margens do Rio Negro, no Amazonas, esta cidade foi fundada em 1694 por portugueses.


No início do século XX, com a instalação de um porto fluvial e o Ciclo da Borracha, a cidade passou por uma grande mudança.


A exportação de látex fez a pobreza do povoado desaparecer momentaneamente, com Velho Airão alcançando seu auge na década de 1910.


Nesta época, belas e enormes casas foram construídas na cidade amazônica, utilizando materiais importados de Portugal. 


“No auge de sua história, acredita-se que ali moravam centenas de pessoas que circulavam pelas ruas de paralelepípedos entre os prédios comerciais de estilo colonial, lojas e edifícios municipais, protegidos dos dilúvios tropicais por tetos de telha portuguesa”, diz uma reportagem do jornal New York Times.


Com o fim da Primeira Guerra Mundial, o Reino Unido e outros países da Europa deixaram de comprar o látex extraído da Amazônia. 


Como Velho Airão era uma espécie de ponto de captação e distribuição de látex, o tombo foi enorme, o que resultou na falência da cidade.


Sem fonte de renda, os moradores partiram para municípios vizinhos, em busca de trabalho e melhores condições de vida, deixando para trás as construções.


Com o passar do tempo, a cidade-fantasma do Amazonas passou a ser utilizada pela Marinha do Brasil como local de treinos em 1985.


Velho Airão permaneceu assim até 2005, quando foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).