-
27/02/2017 às 19h17

Cuidado: Bandidos jogam pedras em veículos para forçar motoristas a parar

Cidade e Cotidiano
Cuidado: Bandidos jogam pedras em veículos para forçar motoristas a parar
O para-brisas do carro do músico Rafael do Amaral ficou quebrado (detalhe), após ser apedrejado na Estrada da Guarita (Foto Montagem/MidiaNews )

Casos foram confirmados na Estrada da Guarita, em Várzea Grande, e na da Guia, na Capital


Motoristas estão sendo alvos de uma nova modalidade de crime adotada por bandidos na Grande Cuiabá.

 

Segundo os relatos, a estratégia dos criminosos é jogar pedras nos carros em movimento, o que forçaria os motoristas a parar, facilitando a ação dos bandidos.

 

No caso do músico Rafael do Amaral, que foi vítima da ação criminosa, bandidos escolheram um local sem iluminação e com pouco movimento.

 

“Eu estava passando pela Estrada da Guarita, próximo ao Condomínio Terra Nova. Quando senti a pedrada, achei que podia ser criança. Mas como estava muito escuro, achei mais seguro não parar, mesmo com o vidro quebrado”, disse.


Segundo Rafael, além do susto, as pedras lhe causaram prejuízos.

 

“O vidro do meu carro quebrou e a porta também ficou amassada”, relatou.

 

Outro caso semelhante foi registrado na MT-010, conhecida como Estrada da Guia, próximo a condomínios de luxo da Capital.

 

Após também ser vítima da ação, o empresário Antônio Carlos de Melo resolveu avisar seus vizinhos, por meio de uma mensagem de WhatsApp (ouça abaixo).

 

“Eu fui pegar minhas crianças na escola e, próximo ao Colégio Plural, eu senti alguma coisa batendo na minha porta traseira. Me pareceu estranho, mas estava muito escuro. Então resolvi seguir. Depois de buscar as crianças, na volta, dessa vez na minha porta – do motorista – eu senti outra pedrada”, afirmou em trecho do áudio.

 

“Todos nós ficamos assustados. Eu estava com três crianças no carro. Quando cheguei no condomínio, vi que minha porta estava amassada. Foi um barulho muito forte. Eu senti a pancada e não tinha nada na pista”, acrescentou.

 

Na mensagem, o empresário afirma que procurou a Polícia Militar para relatar o fato e os atendentes lhe informaram que outras denúncias similares haviam sido registradas.

 

“Eu liguei para o 190, porque eu lembrei de um golpe em que as pessoas desciam do carro e eram assaltadas. Me disseram que eles já receberam outras ligações dizendo isso e que não é pra parar o carro. Eu peço que todo mundo que for passar por lá tenha cuidado e reforcem com o 190 caso aconteça com alguém”, disse o empresário.

 

A Polícia Militar, no entanto, afirma que nenhuma ocorrência desta natureza foi registrada até o momento. Mas disse que irá reforçar o policiamento nas regiões onde estão sendo apontados os casos.