-
08/11/2018 às 17h28

Curta’s: A esquerda reconhece defender o fascismo

Política
Curta’s: A esquerda reconhece defender o fascismo
Foto divulgação / Web

O Ministério do Trabalho é uma representação simbólica e clássica do que o fascismo de Mussolini construiu no Brasil. Todos sabem que sou contrário ao protecionismo celetista, acredito veementemente no Livre Mercado e no poder do mérito. Mas, está claro que Bolsonaro acabou com uma representação simbólica do fascismo defendido pela esquerda, mas não com suas estruturas. Pois a justiça do trabalho que corrói os salários e empregos no Brasil continuará firme e forte e esse Ministério se tornará uma secretaria, o órgão perde força simbólica. Considero um bom começo, mas nada além disso.


Resumindo a ópera: “Nada muda quanto a pasta do trabalho. E, os fascistas de hoje chamando os antifascistas de fascistas é algo já previsto há décadas”.



Manoel Carlos / analista político

atua em Guerra Política e no combate ao marxismo cultural no Brasil.