-
08/03/2019 às 11h22

Ditador Nicolás Maduro paralisa aulas e dia de trabalho por apagão que dura mais de 16 horas na Venezuela

Mundo
Ditador Nicolás Maduro paralisa aulas e dia de trabalho por apagão que dura mais de 16 horas na Venezuela
AP

Na tarde desta última quinta-feira, um corte de energia foi registrado em toda a Venezuela, registrou a imprensa venezuelana.


O apagão teve início às 16h50 (17h50 em Brasília). E já dura mais de 16 horas.


Parte do metrô de Caracas também parou de funcionar.


No Twitter, o presidente autoproclamado Juan Guaidó escreveu:


“Como você diz a uma mãe para cozinhar, uma pessoa doente que depende de uma máquina, um trabalhador que deve trabalhar em um país sem luz?”.


E acrescentou:


“É claro que a ausência de luz é resultado da usurpação. Vamos seguir em frente. Durante nossa turnê no sul, buscamos apoio para enfrentar essa crise”.


A empresa estatal Corpoelec alegou, pelo Twitter, que houve sabotagem na usina hidrelétrica de Guri.


Delcy Rodriguez, vice-presidente do ditador, comunicou que Maduro “suspendeu as aulas e o dia de trabalho hoje para facilitar os esforços de recuperar o fornecimento de energia elétrica no país”.