-
09/10/2018 às 17h09

Formação de Congresso conservador assusta mídia progressista

Brasil
Formação de Congresso conservador assusta mídia progressista
Reprodução Web

No último domingo (7) os brasileiros foram às urnas eleger seus representantes pelos próximos quatro anos. O resultado não foi surpreendente para a maioria que votou, mas trouxe verdadeiro pânico para alas chamadas “progressistas”. Novos parlamentares “tomaram” o assento de nomes da velha política e, adivinhem, a maioria deles declara alguma ligação com ideais de direita/conservadores.


Eduardo Bolsonaro (PSL) foi o deputado federal mais votado da história. Ele foi eleito com quase 2 milhões de votos. Para o Senado, os paulistas elegeram Major Olímpio Gomes (PSL), um dos mais próximos aliados de Bolsonaro e responsável por seu plano de Governo na área de segurança pública.


O partido de Jair Bolsonaro (PSL) terá uma bancada com 52 deputados federais.


A expansão da direita na política causou notável desconforto em grande parte da mídia tradicional. O resultado foi estampado nas páginas dos principais jornais do país, e até fora dele.


A classe jornalística progressista ainda não compreendeu a nova situação na qual o país se encontra: conservadores passaram a ter voz e vez. Ainda há um longo caminho, mas a renovação dentro da mídia também já começou.