-
11/08/2021 às 17h56

FUNAI EM FOCO: 'Indígenas eram jogados em governos anteriores', diz Barbudo em Comissão dos Direitos Humanos

Política
FUNAI EM FOCO: 'Indígenas eram jogados em governos anteriores', diz Barbudo em Comissão dos Direitos Humanos

O deputado federal por Mato Grosso, Nelson Barbudo (PSL), criticou nesta terça-feira (11.08) a postura de governos anteriores com os indígenas no Brasil. “Nossos irmãos indígenas eram jogados no governo anterior. Foram 16 anos de um partido no poder sem um plano de governo sequer para eles”, disse. 


A fala foi feita pelo parlamentar durante audiência pública extraordinária da Comissão dos Direitos Humanos e da Comissão de Fiscalização Financeira da Câmara Federal, que ouvem o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Marcelo Augusto Xavier da Silva. 


O presidente foi convocado para prestar esclarecimentos sobre a representação feita junto à Procuradoria da República no Distrito Federal a respeito de suposto crime de abuso de autoridade e improbidade administrativa, em decorrência de inquéritos policiais contra os líderes indígenas Sonia Guajajara e Almir Suruí.


Durante sua fala, Barbudo aproveitou para elogiar o trabalho de Marcelo Augusto Xavier da Silva, à frente da Funai há dois anos. “Nosso presidente Jair Bolsonaro tem feito um trabalho espetacular, dando personalidade e oportunidade aos nossos irmãos indígenas, que merecem tanto quanto qualquer outro cidadão deste país. E não tem sido diferente com o doutor Marcelo na presidência da Funai. Aliás, nos últimos 10 anos, só o senhor passou mais de dois anos ininterruptos, isso mostra que o seu trabalho é venerável”, completou. 




O presidente da Funai usou sua fala para agradecer ao deputado federal por Mato Grosso. “Gostaria de agradecer ao deputado Nelson Barbudo, que acompanha meu trabalho e sabe do meu empenho. E gostaria de aproveita para questionar: se os supostos problemas dos indígenas fossem tão fáceis e simples, por que não resolveram antes, em outros governos? Nós não podemos ficar no retrocesso”, pontuou.