-
08/11/2019 às 14h58

Galli defende novos concursos para Polícia Militar e diz apoiar Reformas apresentadas por Bolsonaro e Guedes

Política
Galli defende novos concursos para Polícia Militar e diz apoiar Reformas apresentadas por Bolsonaro e Guedes
Reprodução Internet

O suplente de federal Victório Galli, principal integrante do grupo político do Presidente Bolsonaro, em Mato Grosso, reafirmou a necessidade do Governo do Estado de Mato Grosso acelerar a implantação de novas escolas cívico militares no Estado e iniciar estudos para o alinhamento com as reformas federais. Galli ainda levantou preocupação quanto ao PLC 53 enviado pelo Governador Mauro Mendes para a ALMT. O PLC já foi aprovado na Assembleia Legislativa de Mato Grosso; e, prevê aumento de impostos já para o ano de 2020 para o setor do comércio, indústria e agro.


Por outro lado, o “líder bolsonarista matogrossense” elogiou a Assembleia Legislativa pela aprovação do Projeto de Lei de autoria de Silvio Fávero que visa estabelecer Escolas Militares como política de governo em Mato Grosso.


Galli comentou o resultado do IDEB que coloca a Escola Militar Tiradentes CPA1 com a melhor nota de toda a baixada cuiabana. A escola precisou implantar processo seletivo diante da imensa procura por vagas. São 1100 candidatos para 200 vagas na unidade.


ENTREVISTA: 


VICTÓRIO GALLI, O SENHOR SEMPRE FOI UM DOS PRINCIPAIS DEFENSORES DO NOME DE BOLSONARO, E COMO O SENHOR VIU ESSA CRISE DENTRO DO PSL?


Eu vi as divergências iniciarem dentro do PSL desde o segundo turno de 2018, quando parte dos eleitos deixaram a campanha do Presidente Bolsonaro e foram curtir suas vitórias. Em Mato Grosso tivemos quem estivesse em todas  as carreatas, encontros, no primeiro turno; e de repente, no segundo turno, muitos sumiram da linha de frente da batalha. 


Eu já disse tudo que ocorreu dentro do PSL em Mato Grosso, e os ataques da Senadora Selma ao Bolsonaro e seus filhos; a divisão entre os que apoiaram uma auditoria no PSL NACIONAL e os que fugiram deste compromisso; a condenação da Senadora do PSL por caixa 2, por 7 juízes a zero; esses 3 exemplos já confirmam que algo não estava e não está bem no PSL em Mato Grosso e no Brasil. Eu tenho partido, “meu partido” é o Brasil e o Bolsonaro.


Eu fui um dos 5 votos que Bolsonaro teve para presidente da Câmara em 2017, naquele momento éramos poucos na defesa do nosso presidente. Sofremos juntos e ganhamos juntos. Sou um conservador e apoio as pautas do Governo 100%, essa é a chance que o Brasil tem de avançar rumo ao desenvolvimento Econômico e resgatar seus valores deixados ao longo da história neste século XX.


O SENHOR SEMPRE FOI UM DEFENSOR DAS ESCOLAS MILITARES, E AGORA ESTÁ VENDO O AVANÇO DESTE MODELO DE ENSINO NO BRASIL. O SENHOR ACREDITA QUE O GOVERNO DE MATO GROSSO ESTÁ FAZENDO O TRABALHO CORRETO NESSE CASO?


Eu acredito que sim. Embora haja alguma resistência de setores ligados à esquerda e extrema esquerda no Mato Grosso, temos os números positivos ao nosso lado. Com números positivos fica difícil a esquerda barrar a implantação deste modelo cívico militar. 


A aprovação do Projeto que estabelece escola militar como política de governo em MT foi um avanço. O projeto foi aprovado pela Assembleia e sancionado pelo Governador. 


Está muito claro que Escolas Militares é um projeto de Governo, para Bolsonaro; é um caminho sem volta por conta do sucesso deste modelo. Os profissionais da educação precisam contribuir com as conversões de escolas tradicionais em militares. 


Precisamos aumentar o efetivo da Política Militar, fazer novos concursos para atender as demandas ostensivas e para o envio de militares para as escolas. Uma parte da PM faz a segurança ostensiva e outra a preventiva junto as nossas crianças. E, a PEC mais Brasil não barra concursos para a área de segurança pública, então vamos ter condições de avançar muito.


BOLSONARO SAI DO PSL? ELE VAI PARA QUAL PARTIDO?


A saída do Presidente Bolsonaro foi prevista por alguns aliados, logo após as eleições eu já vislumbrava essa saída. O PSL não tem a cara do Presidente, não é um partido conservador, não tem unidade partidária; e o Presidente Bivar preferiu não compor com Bolsonaro. Está claro que o PSL chegou ao posto de maior bancada na Camara pelo trabalho e imagem do Bolsonaro, mas junto foi eleito um grupo político muito vaidoso e sedento pelo Poder. Bolsonaro não iria compactuar com melindres, jogos de poder e vaidades. Foram mais de 50 eleitos, boa parte que mal conhecíamos. Dou exemplo do Alexandre Frota, ele está se comportando pior que os deputados do PT, é lamentável isso. Eu também fui enganado pelo Frota e pela Joice Hasselmann, confiamos em pessoas que não mereciam nossa confiança. Estendo esse erro de avaliação, por termos coração bom, ao Eduardo, Jair e Olavo de Carvalho.


A perspectiva inicial é a criação de um novo partido conservador, mas não sabemos como será o trâmite ou se essa tratativa dará certo, teremos que aguardar.


O SENHOR VIRÁ CANDIDATO AO SENADO, NA VAGA DE SELMA ARRUDA, OU A PREFEITO DE CUIABÁ?


Serei candidato se alguma dessas candidaturas forem de suma importância para Bolsonaro. Se o Capitão me convocar para alguma destas missões, irei trabalhar nesse sentido. Eu cheguei a cogitar candidatura a prefeito em 2016, acabei declinando. Não quero gerar expectativas para depois recuar. Mas tenho recebido muitos contatos para que eu seja candidato em Cuiabá, para prefeito da capital. Eu quero ser candidato a Prefeito de Cuiabá, então irei me preparar o momento. Há muita água para passar debaixo da ponte. Preciso avaliar se meu perfil político se adequa ao desejo e momento histórico para Cuiabá, isso fará toda a diferença numa disputa.


SOBRE A DECISÃO DO STF, EM ACABAR COM A PRISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA. QUAL SUA OPINIÃO?


Eu vejo com preocupação essa decisão. Muitos estão preocupados com o Lula solto; eu estou preocupado com a política de desencarceramento que pode ocorrer no país. Soltura de outros condenados pela Lava Jato, e uma infinidade de outros criminosos. A soltura de Lula é só a ponta do problema. Irei acompanhar o caso de perto. Como liderança religiosa e política, eu estou preocupado com o rumo que foi dado neste sentido. Estamos combatendo crimes no Brasil, e sou contra política de desencarceramento. 


E, conversei com alguns juristas e amigos em Brasília, e destacamos a necessidade de alterações urgentes na Constituição Federal. O STF está decidindo em cima de uma constituição bastante socialista, se houve a possibilidade deste entendimento é em razão de haver brechas na Constituição. Temos que ir para as ruas cobrar o Congresso Nacional para aprovar as PECs que tratam de prisão em segunda instância, quem tem que legislar é o Congresso Nacional. O foco agora não é a decisão do STF, mas o Congresso Nacional. Se a população pressionar o Congresso, a prisão em segunda instância se tornará uma realidade indiscutível até para o STF.


SOBRE A PEC MAIS BRASIL. HÁ MUITA GENTE FAZENDO CRÍTICAS SEM TER ESTUDADO O ASSUNTO, INCLUSIVE SOBRE A EXTINÇÃO DE DIVERSAS CIDADES. QUAL SUA OPINIÃO?


Bolsonaro e Paulo Guedes enviaram 3 PECs para o Congresso, ajuste fiscal, desenvolvimento econômico e novo pacto federativo. As PECs ainda serão debatidas no Congresso. Eu nunca vi um presidente e equipe econômica tão comprometidos com o desenvolvimento do país, com o futuro do país e em promover debates sobre mudanças profundas e necessárias nas leis. 


Bolsonaro será o maior presidente de toda república, o primeiro líder máximo de Direita no Brasil, desde o império. Ele será o presidente que irá promover mudanças positivas no Brasil. Sobre extinção de municípios, isso está muito alarmista e falso. A PEC promoverá junção de cidades, unificação e aumento dos recursos para essas cidades, a UNIÃO irá aumentar os repasses, afrouxar as regras para as verbas carimbadas para Saúde e Educação e promover o desenvolvimento econômico das cidades. O presidente Bolsonaro está visando as cidades, a melhoria das cidades e da população. E, a população não quer mais um Estado gigante, não quer mais pagar tantos políticos, por isso a necessidade de diminuir o tamanho da conta e fazer chegar mais recursos nas cidades. Uma das PECs irá promover a diminuição de centenas de vereadores e prefeitos em cidades que não tem arrecadação nem para tapar um buraco na rua e muito menos para pagar salários de políticos. Precisamos visar o cidadão, precisamos que sobre dinheiro para atender as pessoas.


O SENHOR TEM ALGUNS PROJETOS HISTÓRICOS. QUAIS PROJETOS E IDEIAS QUE O SENHOR IRÁ CONSEGUIR EMPLACAR E CONVENCER BOLSONARO?


Há projetos que há meu DNA, mas que são bandeiras de luta de outros deputados e do próprio Bolsonaro.

 

A mudança da Embaixada brasileira de Tel Aviv para Jerusalém é uma das minha principais bandeiras. E, também é um dos compromissos de Bolsonaro. Eu fui o primeiro deputado federal a defender essa mudança publicamente e da tribuna da Câmara Federal, há muitos anos. 


Outro bandeira que eu sempre defendi era o fim do Horário de Verão no Brasil, e havia técnicos deste governo que também tinham essa mesma posição e outros deputados pela país também defendiam essa decisão. Acredito que eu tenha sido um dos primeiros no Brasil e em Mato Grosso a levantar o fim do horário de verão.


Outra bandeira é o resgate e valorização de personagens importantes de nossa história por meio da mudança nas Notas de nossa moeda, o Real. Eu sou um entusiasta de termos Dom Pedro II nas notas de 100 reais, não mais animais. Os brasileiros precisam conhecer suas origens históricas e valorizar aqueles homens e mulheres que construíram nossa país. Eu já conversei com o Presidente e ele e o Ministro Sérgio Moro são simpáticos a ideia. Inclusive, com essa alteração das notas, criminosos que guardam dinheiro serão obrigados a trocar suas notas. Isso poderá ajudar nas investigações conduzidas pela Lava Jato e no combate ao tráfico de drogas. 


Eu e a Bia Kicis fomos os primeiros na luta para retornar os brasões da república aos passaportes brasileiros. O PT retirou o brasão e colocou um símbolo supranacional para fomentar culturalmente a unificação da América Latina, com o projeto nefasto do Foro de São Paulo; e, o Governo Bolsonaro trouxe de volta. A Bia Kicis entrou com uma Ação Civil Pública e eu protocolei um Projeto de Lei no Congresso obrigando o governo a respeitar os símbolos nacionais e retornar o Brasão aos passaportes. Sérgio Moro e Bolsonaro tomaram essa medida como política de governo e já temos essa vitória.


DEPUTADO, MUITOS FALARAM DURANTE A CAMPANHA QUE ERAM PESSOAS DE CONFIANÇA DO BOLSONARO, USARAM E ABUSARAM DO NOME DO HOMEM QUE SE TORNARIA O PRESIDENTE DO BRASIL. AFINAL, QUEM SÃO OS DEPUTADOS MAIS PRÓXIMOS DO PRESIDENTE? E ESSE RACHA NO PSL PREJUDICOU BOLSONARO NO CONGRESSO?


A base aliada do Governo Bolsonaro é suprapartidária, há deputados e senadores de diversos partidos que apoiam as pautas do Governo. E, não acredito que os parlamentares envolvidos nessa “crise" interna (entre aspas) passem a votar contra o Governo. Isso é um fato, afinal se votarem contra o Governo serão severamente cobrados pelos seus eleitores em seus estados. 


Ser aliado do Bolsonaro é uma coisa, ser aliado do Governo Bolsonaro é outra coisa. 


Para saber quem são os mais próximos do Presidente, aliados de primeira hora dos Bolsonaros é só recorrer as listas que pediram Eduardo Bolsonaro como líder na Câmara e a lista que pediu auditora e transparência no PSL. Essas listas mostram que é somente aliado do Governo e os que são aliados dos Bolsonaros.