-
03/10/2018 às 11h26

Galli deixou fundo partidário milionário para filiar ao Bolsonaro

Política
Galli deixou fundo partidário milionário para filiar ao Bolsonaro
Reprodução Web

O Deputado Federal Victório Galli, assumiu a presidência do PSL em Mato Grosso cumprindo um compromisso com Bolsonaro.


Em 2016, Bolsonaro teve divergências com o Presidente do PSC, Pastor Everaldo, sobre uma coligação com o PC do B, na região nordeste. Desde então, Bolsonaro decidiu procurar outra sigla para se candidatar à Presidência do Brasil. E, já em 2016, Bolsonaro convidou alguns parlamentares para este projeto de Brasil. Victório Galli foi um dos primeiros a darem a palavra para Bolsonaro.


Victório chegou do PSC NACIONAL o convite de se manter no partido, tendo o fundo partidário e autorização para apoiar Bolsonaro do PSC, sem incorrer em infidelidade partidária.


Bolsonaro deixou claro que precisava de Galli no mesmo partido e que Galli teria a missão de construir o partido em MT.


Cumprindo um compromisso, Galli deixou o PSC com uma estrutura partidária, “dinheiro em caixa” na ordem de 1,8 milhão de reais, para filiar ao BOLSONARO pensando num projeto de Brasil.


Galli foi perguntado pela nossa equipe sobre sua filiação ao PSL, e Galli deixou claro que não se filiou ao PSL, mas ao Bolsonaro e ao Brasil.


Questionamos o Coordenador da Campanha de Bolsonaro em Mato Grosso, e presidente do PSL, Victório Galli, se houve arrependimento por ter deixado um partido estruturado e com “dinheiro em caixa” para filiar a este novo projeto de Brasil. 


O parlamentar disse que jamais irá se arrepender, já que o projeto Bolsonaro é para mudar o Brasil.


“Nunca fiz campanha com gastança e muito dinheiro. Sou contra isso. Então, minha situação não mudou em nada ao deixar o fundo partidário”, finalizou Galli.