-
06/03/2019 às 12h10

Governo economiza 28% com cartões cooperativos, mas imprensa ataca

Política
Governo economiza 28% com cartões cooperativos, mas imprensa ataca
Foto reprodução Web

Veículos de imprensa nacionais informaram que o Governo Bolsonaro aumentou gastos com cartões cooperativos, quando na verdade promoveu uma redução em 28%. 


Parte da imprensa divulgou números distorcidos e separou a Secretaria de Administração da Presidência do restante dos ministérios no levantamento, apontando um aumento de 16% nos gastos de um dos setores. 


Ao todo, o número de aproximadamente 1.840 servidores estão registrados para usar os cartões corporativos; e estes servidores, no cômputo total, foram responsáveis por um gasto de R$ 5,3 milhões, menor que em governos anteriores. Neste caso, o governo com todos os seus órgãos, conseguiu uma economia de 28% em relação à média dos últimos quatro anos, governo Temer e Dilma.


Leia mais:


'A intenção é arruinar Flávio Bolsonaro e o governo' afirma jornalista do Estadão

Rosinei

Todos os governantes de todos países usam cartão corporativo, brasileiro parece que vive em outro planeta, o importante e fiscalizar o uso .

07/08/2019 01:05

Anderson

Sinceramente não sei se as pessoas que pedem o fim do cartão corporativo, realmente estão falando sério ou se é brincadeira, o que elas querem, que os chefes de estado e funcionários do governo que precisão viajar a trabalho, se hospedar, comer e etc..., elestem que fazer o que, TIRAR DO BOLSO e esperar reembolso do governo que pode durar meses, ou melhor, um chefe de estado ou ministro ou funcionário do alto escalão que seja, tem que viajar as pressas para outro país ou dentro do Brasil mesmo, ele faz como, protocola no sistema o pedido de passagem área, hotel e dinheiro para comer, é espera né, pois sabemos como a máquina funciona, DESCULPEM O DESABAFO, mas isso já beira o R I D Í C U L O ridic

03/04/2019 10:38

Sandro Rimes

Gostaríamos de ver, a reforma da Previdência sendo organizada e entrando noa eixos, tirando as mordomias dos politicos corruptos que recebem diversos benefícios sem necessidade, e não de deficientes que recebem apenas um salário mínimo que chama de LOAS.

11/03/2019 16:37