-
07/06/2019 às 09h52

Grupo de Lima pressiona Rússia e China a romper com Maduro

Mundo
Grupo de Lima pressiona Rússia e China a romper com Maduro
Reprodução Internet

O Grupo de Lima também pediu à ONU e à comunidade internacional que apoiem os esforços das nações que recebem os venezuelanos.


Os membros do Grupo de Lima, que reúne países da América Latina e o Canadá, solicitaram, nesta quinta-feira (6), à Rússia e à China que detenham o seu apoio ao ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, para facilitar uma saída pacífica para a crise.


O Grupo reafirmou seu apoio ao presidente interino Juan Guaidó diante “daqueles países que ainda apoiam o regime ilegítimo de Nicolás Maduro”, destaca a declaração conjunta ao final do encontro na Cidade da Guatemala.


O documento de sete pontos precisa que para se cortar o apoio internacional a Maduro é preciso trabalhar em “particular com Rússia, China, Cuba e Turquia, para que façam parte da solução de uma crise que tem impacto crescente na região”.


Na declaração lida no final da reunião, o Grupo de Lima assinala Maduro como “o único responsável pela situação humanitária cada vez mais grave do povo venezuelano”, informa o Estado de Minas.