-
10/01/2020 às 09h47

Irã convida Boeing para investigação sobre queda de avião

Mundo
Irã convida Boeing para investigação sobre queda de avião
Imagem: Ebrahim Noroozi/AP

Canadá disse que o avião ucraniano “foi derrubado por um míssil superfície-ar iraniano”. Irã rejeita esta narrativa.


O Irã rebateu, nesta quinta-feira (9), as acusações feitas por Justin Trudeau, primeiro-ministro do Canadá.


O líder canadense disse que o Boeing 737 da Ukraine International Airlines, que caiu perto de Teerã, na última quarta-feira (8), matando as 176 pessoas a bordo, “foi derrubado por um míssil superfície-ar iraniano”. 


O regime islâmico iraniano referiu-se à declaração de vários líderes ocidentais como uma “encenação suspeita” e convidou a Boeing a participar das investigações sobre o acidente.


O diretor iraniano da aviação civil, Ali Abedzadeh, rejeitou a hipótese levantada pelo premiê canadense, declarando ser “cientificamente impossível que um míssil tenha atingido o avião ucraniano”, informa o site UOL.


O Boeing 737, da Ucrânia, tinha apenas três anos de uso e passou pela última revisão técnica na segunda-feira (6). A aeronave caiu 6 minutos após a decolagem do aeroporto Imam Khomeini, em Teerã.