-
11/09/2019 às 17h28

Itália quer punição financeira a país que não acolher refugiados

Mundo
Itália quer punição financeira a país que não acolher refugiados
Reprodução Internet

A ideia de punir países que não acolhem imigrantes ilegais já era defendida pelo governo do esquerdista Matteo Renzi.


O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, defendeu, nesta quarta-feira (11), que membros da União Europeia que não recebem a cota de refugiados impostas pelo bloco econômico sejam punidos financeiramente.


A declaração, que foi feita pelo premiê da Itália durante uma visita a Bruxelas, “capital” da UE, marca uma mudança de abordagem do governo italiano em relação à crise migratória.


Na gestão anterior, o então ministro do Interior e vice-premiê, Matteo Salvini, do partido direitista Liga, se aliou aos países do leste europeu e fez da luta contra a imigração ilegal seja seu principal cavalo de batalha.


Com a saída da Liga e a formação de um governo alinhado à esquerda, a Itália deve retomar a pressão contra Estados-membros como Hungria, Polônia, República Tcheca e Eslováquia.


“Quem não participar [da repartição de solicitantes de refúgio] sentirá os efeitos, de modo consistente, no plano financeiro”, prometeu Conte, após uma reunião com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, informa a agência ANSA.