-
06/09/2020 às 16h06

Leilões de bens do crime registram arrecadação recorde em 2020

Economia
Leilões de bens do crime registram arrecadação recorde em 2020

O governo Jair Bolsonaro já superou o recorde anual de arrecadação do Funad (Fundo Nacional Antidrogas) em 2020.


Foram R$ 101 milhões só até o fim de agosto, ante R$ 91,7 milhões em 2019.


O incremento é resultado de uma mudança na lei que facilitou a realização de leilões e à conversão de valores apreendidos em moeda estrangeira – com taxas de câmbio maiores que no ano passado, destaca o portal R7.


Além disso, um decreto presidencial em outubro incumbiu a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), vinculada ao Ministério da Justiça, de fazer a gestão não só dos itens apreendidos do narcotráfico, mas de todos os bens que foram transferidos para a União por meio de decisão judicial.


Barras de ouro e diamantes do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (MDB), e milhões de dólares do narcotraficante Luiz Carlos da Rocha, conhecido como “Cabeça Branca”, ajudaram a encher os cofres.


As joias de Cabral foram leiloadas em julho e resultaram na arrecadação de R$ 4,6 milhões. Outros R$ 62 milhões foram resultado da venda de US$ 12 milhões apreendidos