-
08/11/2018 às 14h29

Magno Malta não convence PR e aliado; e contraria Bolsonaro

Política
Magno Malta não convence PR e aliado; e contraria Bolsonaro
Reprodução / TV Senado

Nesta quarta-feira (7), em votação no Senado, os 3 senadores do Partido da República - PR de Magno Malta votaram pelo aumento salarial no judiciário e Ministros do STF. 


São eles: 


- Cidinho Santos (PR-MT); Vicentinho Alves (PR-TO); e Wellington Fagundes (PR-MT).


- A decisão contrariou a posição do presidente eleito Jair Bolsonaro.


- De forma sensata, Bolsonaro afirmou que o momento não seria de aumentos salariais. 


- Após a aprovação, o presidente eleito avaliou com preocupação o aumento aprovado no Senado.


Magno Malta, que almeja se tornar ministro de Bolsonaro faltou à votação, teve 3 derrotas recentes e os fatos farão com que o amigo de Bolsonaro entre numa fase de desgastes e justificativas intermináveis. 


A primeira derrota, foi o excesso de confiança em uma vitória ao Senado pelo Estado do Espírito Santo que não veio; a segunda derrota foi não conseguir convencer seus correligionários contra o aumento do judiciário; a terceira derrota está no voto do seu fiel escudeiro Senador José Medeiros (PODEMOS-MT). Medeiros foi eleito em Mato Grosso como deputado federal tendo como principal cabo eleitoral o próprio senador Magno Malta. Medeiros usou em sua plataforma estratégica um pseudo alinhamento e proximidade com Jair Bolsonaro. 


Magno atrairá o desgaste do aliado Medeiros, e essa derrota poderá trazer prejuízos para o senador derrotado, um desgaste que se torna muito maior quando se almeja assumir um ministério no Governo Bolsonaro. 


Medeiros fez uma campanha controversa, aliou-se com o PC DO B, PV, PROS e PT, 4 partidos de extrema-esquerda, pediu votos para Álvaro Dias nas primeiras semanas de campanha e depois migrou seu apoio e aliou-se ao nome de Jair Bolsonaro, pegando a onda bolsonarista em MT. 


Até ontem, Magno levava a “tira colo” José Medeiros para todo canto, inclusive para dentro da casa de Bolsonaro.


O PODEMOS de José Medeiros e Álvaro Dias votou 100% contra os brasileiros e contra a recomendação de Bolsonaro: os 3 senadores do PODEMOS presentes votaram fechado pelo aumento salarial do judiciário, são eles: José Medeiros, já citado acima; José Amauri, do Piauí; e a colega de bancada de Magno Malta do Espírito Santo, Rose de Freitas.