-
24/09/2017 às 19h17

Oscar e Luciane muito próximos de provarem inocência.

Política
Oscar e Luciane muito próximos de provarem inocência.
Foto: Reprodução

A gravação apreendida pela Polícia Federal na casa do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), durante a Operação Malebolge, deflagrada no dia 14, pode comprovar a versão do deputado estadual Oscar Bezerra (PSB) e da prefeita de Juara, Luciane Bezerra (PSB).

Luciane Bezerra apareceu, inicialmente, em um vídeo no gabinete de Sílvio Cézar recebendo parte de um dinheiro. Até então, era a palavra de Luciane contra a de Silval. A prefeita afirmava, antes do surgimento do vídeo, que havia feito negócio particular com Silval, há muitos anos. O deputado Oscar Bezerra, ja havia informado, há meses, antes do surgimento do “tal” vídeo, que a Luciane havia recebido de Silval parte de uma dívida contraída pelo próprio ex-governador com o casal. Oscar, realmente, nunca negou encontro com Silval e o recebimento de parte desta dívida por Luciane.

Por outro lado, o casal sempre negou, desde o momento da delação, que tivesse ligação política ou pedido dinheiro para Silval com intuitos escusos. Oscar e Luciane já haviam informado que tratava de “negócios particulares”. E reiterou ainda que emprestou R$ 550 mil ao ex-governador há pelo menos 7 anos.
Agora, Silvio Araújo, admitiu o fato durante conversa mantida com o ex-secretário de Estado de Indústria, Comércio, Minas e Energia, Alan Zanatta, que foi gravado pelo ex-secretário no dia 28 de agosto deste ano.

Sílvio contou a Alan que Silval teria dito que se fosse preso, todo mundo “cairia” por conta dos documentos e gravações que ele armazenava. O ex-governador foi preso em 2015 por conta da Operação Sodoma e só conseguiu a soltura em junho deste ano, após firmar delação.



Numa demonstração de lisura e colaboração com a investigação, o deputado e a prefeita Luciane, anteriormente, encaminharam uma petição a Polícia Federal e colocaram-se à disposição para esclarecimentos, além de abertura de seus sigilos fiscais, bancários e telefônicos.

Essa nova evidência mostra coerência com a versão de Oscar e Luciane, além disso, pode mudar os rumos das investigações. O casal já havia se pronunciado sobre o apoio às investigações e por várias vezes afirmaram que provariam na justiça a sua inocência.

Há especulações de que contratos e documentos que comprovam a existência da referida dívida, não paga por Silval ao casal, já estão em posse dos advogados para apresentar ao STF.

Após o desfecho do caso, vem a pergunta: “quantas inserções a Rede Globo, que massacrou o casal, terá que devolver em direito de resposta?”