-
05/03/2019 às 09h40

Papéis da Vale caem 3% nos EUA após presidente se afastar da empresa

Economia
Papéis da Vale caem 3% nos EUA após presidente se afastar da empresa
Foto: Washington Alves/Reuters

As ADRs (recibo de depósito de ações) da Vale abriram em queda nesta segunda-feira (4) na Bolsa de Nova York, com investidores expressando cautela com a troca de comando na mineradora anunciada durante o fim de semana.


Às 9h56 (horário local), os papéis recuavam 2,91%, a US$ 12,03.


No sábado (2), o diretor-presidente da Vale, Fabio Schvartsman, e mais três diretores se afastaram temporariamente do comando da mineradora, seguindo sugestão do Ministério Público Federal, Ministério Público de Minas Gerais e pela Polícia Federal.


Schvartsman será substituído por Eduardo Bartolomeo, que atuará como diretor-presidente interino da mineradora. Para acalmar os investidores, a mineradora fez um esforço para destacar a experiência do executivo, nomeado pelo conselho de administração.


Com dez anos de Vale, Bartolomeo já foi diretor-executivo de logística, operações integradas de commodities (minério de ferro, carvão e manganês) e, mais recentemente, diretor-executivo de metais básicos. Trabalhou na Ambev entre 1994 e 2003, tendo exercido funções executivas.


A recomendação de afastar os profissionais da Vale foi tomada pelo Ministério Público Federal, Ministério Público de Minas Gerais e pela Polícia Federal durante as investigações sobre o rompimento de uma barragem da Vale em Brumadinho, no dia 25 de janeiro. Até agora, a tragédia deixou 186 mortos e 122 desaparecidos.


Desde então, as ações da mineradora acumulam queda de 16,8% na Bolsa brasileira, enquanto as ADRs têm desvalorização de 4,8% no mesmo período.


Na mensagem em que comunica a substituição, a empresa afirmou que o conselho de administração "permanece em prontidão, na busca de um relacionamento transparente e produtivo com as autoridades brasileiras visando o esclarecimento dos fatos, a reparação apropriada dos danos e a integridade da empresa e que manterá a sociedade e os mercados informados sobre qualquer fato novo".


Já Schvartsman, na carta em que comunica seu afastamento, disse que decidiu pedir a saída temporária da função de diretor-presidente "com a absoluta convicção da retidão" e "do dever cumprido até aqui" em favor da continuidade das operações da companhia e "do apoio às vítimas e a suas famílias". 


Com informações da Folhapress.