-
17/05/2021 às 14h00

PARTIDOS DE DIREITA: Stringueta está avaliando siglas de olho na disputa de 2022

Política
PARTIDOS DE DIREITA: Stringueta está avaliando siglas de olho na disputa de 2022
Otmar de Oliveira

O delegado da Polícia Civil de Mato Grosso, Flávio Stringueta, está por decidir entre dois partidos para se filiar e ingressar na política já pensando em uma campanha eleitoral em 2022. Flávio Stringueta recebeu convite de três partidos da direita, são eles: Podemos, PRTB e Patriota. Atualmente, o delegado está entre duas siglas, o PRTB e Patriota.


O PRTB larga na frente por conta da proximidade que o diretório estadual tem com o vice-presidente Hamilton Mourão, que poderia garantir todo apoio à candidatura do delegado. Por outro lado, o Patriota é uma das agremiações que pode receber o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) neste ano, já pensando em uma eleição em 2022.


O Podemos também não está descartado. A sigla é forte por conta da atuação do deputado federal José Medeiros, bolsonarista de carteirinha que foi um dos apoiadores da candidatura de Selma Arruda em 2018. Medeiros é próximo de Bolsonaro e a boa relação com o presidente também pode ser um fator positivo para o delegado.


A direita mato-grossense passa por arroubos de unidade, que nasceram principalmente da derrota em 2020, quando Carlos Fávaro (PSD) venceu todos os bolsonaristas raiz na eleição suplementar ao Senado. Em abril, ainda flagelados com a derrota do ano passado, reuniram-se Reinaldo Moraes (PSC), Elizeu Nascimento (PSL), Coronel Fernanda (Patri) e o próprio Medeiros em uma tentativa de articular uma difícil união entre os ex-candidatos ao Senado.


Ocorre que o nome de Flávio Stringueta já surge como candidato a candidato ao Senado. Pelo menos é o que dizem lideranças partidárias ouvidas pela reportagem. Se isso se confirmar, o delegado tende a ser mais uma peça no curiosíssimo lado direito do tabuleiro da política do estado.


O que importa?


O delegado Flávio Stringueta provocou interesse nos partidos de direita depois que publicou uma série de artigos na imprensa local na qual fez críticas ao Ministério Público de Mato Grosso (MPE) por comprar Iphones para promotores e procuradores. A compra foi judicializada e, mais tarde, permitida pela justiça de Mato Grosso.


Flávio Stringueta escreveu artigos sempre com o título O que importa nessa vida? questionando a moralidade do MP e do próprio governo estadual. Depois dos artigos, o delegado foi desligado do Gabinete de Combate à Corrupção (GCCO) em uma ação que foi considerada como perseguição ao delegado.