-
03/11/2017 às 10h17

Passado: Cinco traumas infantis que persistem na vida adulta

Saúde
Passado: Cinco traumas infantis que persistem na vida adulta
iStock

infância é um período crucial no desenvolvimento, no qual se molda de certa forma a personalidade.


Muitos traumas vividos nesta fase persistem na vida adulta, e só podem ser resolvidos quando tratados por profissionais qualificados. 

O site Psiconlinews listou cinco dos maiores traumas infantis:

1. Medo do Abandono. A solidão é o pior inimigo de quem foi abandonado ou negligenciado na infância. Quem sofreu com este problema quando era criança precisa de trabalhar o medo da solidão.

2. Medo da rejeição. Esta é uma das feridas mais profundas, pois implica no medo de não sermos aceites como somos. Pode aparecer por vários fatores, como a rejeição dos pais, da família, dos colegas na escola e até mesmo da auto-rejeição.

3. Medo da Humilhação. Esta mágoa surge por sentirmos que não somos aprovados ou que somos criticados. Os pais podem provocar este trauma na criança quando dizem que ela é má, estúpida ou quando a compram a outras crianças, algo que destrói a sua auto-estima. Como mecanismo de defesa, a criança pode aprender a ser "tirana" e "egoísta", humilhando as outras pessoas.

4. Medo de confiar. Quando a criança se sente traída por um dos pais, por não cumprir promessas, por exemplo, isso gera uma desconfiança que pode ser transformada em sentimentos negativos por não se sentirem merecedoras do que foi prometido. A criança pode tornar-se num adulto controlador.

5. Medo da injustiça. Quando os cuidadores são frios e autoritários, o medo da injustiça torna-se uma ferida emocional. Com isso, as crianças podem tornar-se adultos rígidos, obcecados pela ordem e perfecionismo.