-
11/12/2018 às 09h58

PF cumpre mandados de buscas em imóveis de Aécio Neves

Justiça
PF cumpre mandados de buscas em imóveis de Aécio Neves
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

A Polícia Federal cumpre na manhã desta terça-feira (11) mandados de busca e apreensão em imóveis de Aécio Neves (PSDB-MG) e Andréa Neves, sua irmã, em Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Não há ordem de prisão.


Também são alvos dos mandados de busca da PF os imóveis dos deputados federais Paulinho da Força (SD-SP), Cristiane Brasil (PTB-RJ) e Benito da Gama (PTB-BA) e dos senadores Antonio Anastasia (PSDB-MG) e Agripino Maia (DEM-RN).


Os mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos no Distrito Federal e nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Amapá.


+ Flávio Bolsonaro pode virar alvo de CPI


A ordem foi autorizada pelo Ministro Marco Aurelio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), instância onde ocorre a investigação sobre políticos com foro especial.


A procura de documentos é baseada na delação premiada de Joesley Batista e Ricardo Saud, que buscam escapar. Os executivos da JBS, do grupo J&F, afirmam que repassaram de cerca de R$ 100 milhões em propina a Aécio Neves e aliados, entre os anos de 2014 e 2017.


Com base nas declarações de Joesley Batista e Saud, a polícia investiga se Aécio Neves e os grupos políticos que o apoiavam teriam recebido propina através contratação de serviços que não eram efetivamente prestados, e para os quais eram emitidas notas fiscais frias.


A Operação Ross é um desdobramento da Operação Patmos; tem esse nome em alusão à Plataforma de gelo Ross, maior superfície de gelo do planeta.


Na Operação Patmos, ocorrida em maio de 2017, o STF afastou Aécio Neves do cargo de senador após Neves aparecer em uma gravação, feita por Joesley Batista, pedindo R$ 2 milhões. Aécio Neves disse que se tratava de empréstimo pessoal.


Na mesma operação também foi preso o deputado Rocha Loures (MDB-PR), político próximo ao presidente Michel Temer, e parentes de Aécio Neves, entre eles sua irmã. Também havia ordem de prisão ao ex-deputado Eduardo Cunha, mas ele já estava preso.


Nas últimas eleições Aécio Neves foi eleito deputado federal, o que manterá sua prerrogativa de foro no STF, instância onde ocorrem as investigações relacionadas a ele. 


Com informações da Folhapress.