-
16/07/2021 às 09h00

SEGUINDO O PNI: Prefeitura decide manter intervalo de 12 semanas entre doses da AstraZeneca e pede atenção a agendamento

Cidade e Cotidiano
SEGUINDO O PNI: Prefeitura decide manter intervalo de 12 semanas entre doses da AstraZeneca e pede atenção a agendamento
Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

A Prefeitura de Cuiabá informou na quinta-feira (15) que optou por continuar seguindo as normativas do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde e está respeitando o intervalo de 12 semanas entre a aplicação das duas doses da AstraZeneca. Cidades de alguns estados decidiram reduzir este tempo por conta do risco de novas variantes.


A aplicação da segunda dose da AstraZeneca começou de maneira mais intensa a partir desta quinta-feira (15) em Cuiabá. As pessoas que receberam a primeira dose do imunizante no fim de abril e começo de maio já devem se atentar à data para retornarem aos polos de vacinação para concluírem o esquema vacinal.


“Em Cuiabá continuaremos aplicando a segunda dose tanto da Astrazeneca, quanto da Pfizer com o intervalo que foi preconizado pelo Ministério, que é o de 12 semanas, que equivalem a 84 dias. O maior grupo vacinado com a Astrazeneca já está na época de tomar a segunda dose, por isso devem verificar seus cadastros para verificarem o local onde deverão receber a vacina”, disse Valéria de Oliveira, coordenadora da campanha.


Quem precisa tomar a segunda dose da Astrazeneca deve entrar no site da vacinação e clicar em Consultar Cadastro. No fim da página vai aparecer o agendamento da segunda dose. Ela será aplicada em todos os polos de acordo com o agendamento. Quem não receber a agenda deverá aguardar até que apareça.


Pedimos à população que respeite a data, o local e horário marcados no agendamento, para não gerar aglomerações nos polos de vacinação. Temos um grande grupo para completar o esquema vacinal ao mesmo tempo que damos continuidade à vacinação dos outros grupos prioritários”, finalizou Valéria.


Na sexta-feira passada (09), o secretário estadual de Saúde (SES), Gilberto Figueiredo, afirmou que Mato Grosso discute e deve adotar a antecipação da segunda dose para 70 dias após a primeira aplicação. A intenção é avançar ainda mais no plano de imunização e tentar cobrir a população de forma mais eficaz contra a variante Delta da Covid-19, que tem preocupado os cientistas.


“Estamos discutindo a antecipação da segunda dose. Em vez de executar dentro dos 86 dias, tentar antecipar para 70 dias. Estudos nos mostram que não perde a eficácia. Além disto, temos muitas vacinas com data de vencimento que podem ficar próximos. Estamos debruçados neste assunto e muito propensos a fazer isto”, pontuou o secretário.


Algumas cidades do Brasil decidiram reduzir o intervalo entre a primeira e a segunda dose da vacina AstraZeneca, com o objetivo de ampliar a proteção da população contra a variante Delta do coronavírus, que coloca em perigo a imunização no país. 


Já divulgaram a redução do intervalo cidades dos seguintes estados: Pernambuco (60 dias), Acre (45 dias), Santa Catarina (70 dias), Tocantins (80 dias), Espírito Santo (70 dias) e Piauí (70 dias).