-
11/09/2018 às 14h59

Sem o PT o PSDB perde sua razão de existir

Política
Sem o PT o PSDB perde sua razão de existir
Reprodução Web

A inexpressividade eleitoral de Geraldo Alckmin na corrida presidencial de 2018 é prova cabal de que sem o PT o PSDB perde sua razão de existir.


O cérebro-mor do PSDB, Fernando Henrique Cardoso, comunista até à raiz da medula, sempre apoiou abertamente o PT, defendeu a quadrilha sempre que pôde e ainda impediu que Lula sofresse impeachment em 2005 no auge do escândalo do mensalão.


Com a prisão do capo criminoso petista, e a saída de cena do PT do centro do jogo eleitoral, ninguém mais vota no PSDB achando que é uma alternativa ao petismo, do que se deduz que sem o apoio da farsa petista o PSDB perde substancialmente sua expressão eleitoral.


O teatrinho indigesto continua mantido no Estado de São Paulo, reduto eleitoral de ambas facções comunistas (PT e PSDB), no entanto o expressivo crescimento do candidato do MDB, Paulo Skaf, demonstra que até no curral eleitoral de ambas siglas a situação apresenta ares de mudança.


PT e PSDB são os maiores responsáveis pelos males políticos que o Brasil vem enfrentando nos últimos 30 anos, como corrupção desenfreada, violência maior que a de regiões do planeta que estão em guerra, analfabetismo funcional de mais de 75% da população, prostituição infantil aplicada como currrículo escolar obrigatório, perda da soberania nacional, destruição da pátria, estímulo ao banditismo e muitos outros problemas graves.


A alternância de PT e PSDB no poder, gêmeos siameses inter-dependentes, é um teatro que tem tudo para acabar definitivamente em 2018.