-
24/08/2018 às 11h24

SIMCAR, PRA, APF e áreas embargadas, como resolver o caos no campo

Agronegócio
SIMCAR, PRA, APF e áreas embargadas, como resolver o caos no campo
Foto reprodução Web

Já está na hora começar a funcionar de alguma coisa por aqui, digo em relação à Gestão Ambiental que tem engessado a economia de pequenas cidades que tem como base a agricultura familiar.


A proposta apresentada no início do SIMCAR era que fossem analisados 2 mil CAR por mês... Uau!


Como não pensaram nisso antes? (eu disse na época) rsrsrsrs Na época, fiz uma análise rápida que se forem analisados apenas 2 mil CAR por mês, conforme era propagandeado pelo então Secretário da SEMA-MT na época, o tal de Carlos Favaro, avaliei que o estado levaria 56 meses (quase cinco anos) para analisar todos os 112 mil CAR que constavam na base da SEMA.


Muito legal o esforço e a proposta


Mas, ainda era e continua ineficiente para dar dignidade aos produtores rurais buscam se regularizar, que necessitam da APF (Autorização Provisória de Funcionamento) para renovação de custeio e financiamento da lavoura, pecuária ou qualquer outra atividade rural.


O estado de Mato Grosso, conta com mais de 6 mil propriedades rurais embargadas, no entanto, sem a validação do SIMCAR e a emissão da APF, o produtor não conseguem regularizar sua propriedade, não consegue financiamento, não consegue se manter na propriedade, e muito menos manter a propriedade.


O Campo está em Caos


Hoje o setor de serviços ambientais, florestais, estão parados, pequenas propriedades e assentamentos rurais estão embargados e sem poder desembargar, pois não possuem o PRA aprovado pela SEMA. Reconheço o esforço, ficar trocando de sistemas de gestão, é totalmente ineficiente.


Portanto, fica a minha proposta dar solução a este caos: simplificar processos, exigir responsabilidade técnica para o correto mapeamento e identificação de passivos e, inscrição e/ou retificação dos projetos de CAR. Dar mais flexibilidade, para as propostas relacionadas ao PRA e PRADA e principalmente, mais educação ambiental, orientação aos produtores rurais e menos punição. Um pai ou mãe que bate em seu (sua) filho (a) toda vez que ele comete um erro, fará seu (sua) filho (a) um homem (mulher) melhor?


Tenho minhas dúvidas


Tem muita gente que pode contribuir com melhoria se estão ficando fora desse processo.


Sou a favor de menos burocracia, mais resultados e agilidade, pois os homens e mulheres do campo, da agricultura familiar, trabalhadores e trabalhadoras rurais e técnicos precisam trabalhar. E o Governo de Mato Grosso precisa cumprir seu compromisso de "Produzir, conservar e incluir".



Rodrigo Gomes é Engenheiro Florestal,

pós-graduado em Gestão e Manejo Ambiental, 

Georreferenciamento e especializando em 

Engenharia de Segurança  do Trabalho