-
20/09/2018 às 14h33

Tentativa de assassinato de Bolsonaro ganha contornos suspeitos

Brasil
Tentativa de assassinato de Bolsonaro ganha contornos suspeitos
Reprodução Terça Livre

O site ‘O Antagonista’ noticiou no inicio da noite dessa quarta-feira (19), que o homem que tentou matar o deputado Jair Bolsonaro (PSL), no dia 6 de setembro, esteve na Câmara dos Deputados.


O diretor da Polícia Legislativa Paul Pierre Deeter encaminhou ofício ao gabinete do Terceiro Secretário da Câmara, João Henrique Caldas (PSB), o JHC, em que revela dois registros de entrada de Adélio Bispo Oliveira no dia do atentado contra o presidenciável.


Segundo o documento, ‘cumpre informar que, em nova consulta ao Sistema de Visitação (SIVIS), este Departamento verificou que ocorreram outros registros de entrada do senhor Adélio.


“Constatou-se a existência de mais dois registros de entrada referentes à pessoa do Senhor Adélio, ambos datados do dia 6 de setembro de 2018, dia em que fora efetuada sua prisão no estado de Minas Gerais em decorrência do atentado ao Deputado Bolsonaro”, informou.


O diretor da Polícia Legislativa, disse que vê ‘impossibilidade de ter ocorrido’ o acesso de Adélio ‘às dependências da Câmara dos Deputados neste dia’.


Porém, se a hipótese de que Adelio não esteve na Câmara dos Deputados, conforme consta nos registros, for verdadeira: quem usou a identidade do criminoso para entrar nas dependências do local?


Quem mandou matar Jair Bolsonaro?