-
17/01/2019 às 13h05

TV Globo é condenada a indenizar psicólogos por matéria sobre 'cura gay'

Brasil
TV Globo é condenada a indenizar psicólogos por matéria sobre 'cura gay'
Reprodução Internet

A reportagem do Jornal Nacional que foi ao dia 18 de setembro de 2017, abordando a “Cura gay”, retratou psicólogos que auxiliam pessoas na reversão de orientação sexual foram tratados como preconceituosos.


Acionada na justiça do Distrito Federal pelos profissionais por “danos morais”, o grupo Globo Comunicações S/A foi condenado a indenizar quinze psicólogos que se sentiram lesados pelo tratamento dado a eles pela TV em R$ 170 mil.


A sentença do juiz Julio Roberto dos Reis, da 25ª Vara Cível de Brasília destaca que a Globo maculou a reputação dos autores, sendo muitos deles evangélicos. “No campo científico da sexualidade, os profissionais podem exercer o direito de ação para buscar o reconhecimento ao direito de investigar e orientar pacientes que buscam ajuda profissional, de modo que as reportagens da empresa demandada, abusaram do direito de crítica ou de expressão, maculando a reputação dos autores”, afirma o texto do magistrado.


Além disso, a Globo foi condenada a publicar direito de resposta dos psicólogos em consequência de outro processo judicial, por cauda de uma reportagem do programa “Fantástico”, veiculado na mesma época. A ação dos psicólogos não tem relação com os Conselhos Regionais de Psicologia e o Conselho Federal.


Esta é a segunda vez que a emissora responde na Justiça pelo tratamento dado aos psicólogos que desejam apoiar pacientes que desejam ajuda para deixar a homossexualidade.


MANOEL SOARES CUTRIM FILHO

Excelente iniciativa desses profissionais que não se abateram, diante do preconceito que a Grande Mídia, em sua maioria, encara os serviços desses profissionais, que procuram ajudar aquelas pessoas que em grande angústia, pelos conflitos mais variados, buscam os seus serviços profissionais. Parabéns ao magistrado, que soube interpretar a dor emocional que esses profissionais vêm sofrendo, ao longo de anos, por tão grande preconceito. Fica o exemplo a todo o país, no sentido de que o viés ideológico não seja preponderante nesses trabalhos jornalísticos.

17/01/2019 16:22