-
25/09/2021 às 09h25

Vice do PTB não abre mão do cargo e se torna empecilho para filiação de Bolsonaro

Política
Vice do PTB não abre mão do cargo e se torna empecilho para filiação de Bolsonaro
Catarinense , Graciela Nienov assumiu interinamente o comando do partido. 0 SHARES 531 VIEWS

A vice-presidente do PTB, Graciela Nienov é o principal empecilho para filiação do presidente Jair Bolsonaro no PTB. Há cerca de dois meses, uma negociação foi aberta com Bolsonaro em que Roberto Jefferson continuaria como presidente da sigla e Bolsonaro seria o presidente de honra. O vice-presidente seria Flávio Bolsonaro, no entanto Graciela não abre mão do cargo para o senador carioca.


Ela chegou a ser áspera com interlocutores do presidente da República sobre este assunto. Diante deste desgaste causado pela atual vice-presidente do PTB, Flávio Bolsonaro iniciou um diálogo com o presidente do PTB no estado de São Paulo, Otávio Fakhoury, homem de confiança de Roberto Jefferson, preso pelo inquérito 4789 e hospitalizado para uma cirurgia do coração que será realizada na próxima terça-feira.


O partido chegou enviar uma proposta formal ao presidente da República e o diálogo está sendo feito por Fakhoury e Flávio Bolsonaro, no entanto, Graciela Nienov, tem dito nas redes sociais que nada no PTB é decidido sem ela na mesa, tentando impor uma autoridade que foi perdida pelos seus próprios atos.


Esvaziada na diretoria nacional do partido, perdeu credibilidade quando expulsou do grupo de WhatsApp do diretório nacional do partido conservador cristão, o padre Kelmon, homem forte de Roberto Jefferson na Bahia e o apóstolo Fadi Faraj, por questões pessoais.




Outro assunto que causou constrangimento entre a cúpula do partido foram as “festas” bancadas por Graciela com a prisão de Jefferson. Nos eventos em prol da liberdade do presidente do partido, ela esbanjou com champagne e conduziu a sigla como uma “adolescente que ficou com o cartão de crédito do pai”. Diante desses abusos, de forma tácita, a direção do partido pede conselhos e direcionamento ao presidente do PTB de São Paulo que se tornou um líder natural do partido por sua postura.


Nos bastidores, Graciela trabalha contra a vinda do presidente ao partido pelas mãos de Fakhoury, mas perdeu o respeito de 90% do diretório nacional e os poucos “puxa-sacos” que sobraram chegaram agora no partido e já estão de malas prontas. Mesmo diante desse pequeno conflito interno, o PTB, de fato se preparou para receber Bolsonaro em seus quadros.


E caso se confirme, Flávio Bolsonaro deve assumir a vice-presidência do partido e Graciela Nienov deve ficar na presidência do PTB Mulher, é claro, se cessar o fogo amigo regado ao champagne que sobrou da “festa” e está sendo consumido em seu apartamento com a turma das loiras do partido.


Ricardo Antunes  / ricardoantunes.com.br