-
01/10/2019 às 16h17

Zuckerberg exposto em áudios vazados de reuniões do Facebook

Mundo
Zuckerberg exposto em áudios vazados de reuniões do Facebook
Reprodução Internet

Entre os temas abordados no conteúdo vazado estão a relação com concorrentes e com políticos norte-americanos.


O feitiço virou contra o feiticeiro. Depois de responder pelo vazamento de dados de milhões de usuários do Facebook, agora foi a vez do CEO da empresa, Mark Zuckerberg, ter seus áudios vazados.


O material, que foi divulgado pelo site The Verge, totaliza cerca de duas horas de áudios gravados durante duas reuniões internas realizadas no mês de julho com funcionários do Facebook.


Zuckerberg falou sobre o plano para abater o concorrente TikTok, citações sobre o governo dos Estados Unidos, além de um “tutorial” de como os funcionários devem lidar com aqueles que criticam a rede social.


O site PcWorld traduziu e listou as principais declarações de Zuckerberg nos áudios. Confira abaixo:


Controle total de Zuckerberg

“Uma das coisas que tive a sorte de construir esta empresa é que eu tenho o controle do voto, e foi nisso que eu me concentrei desde o início. E isso foi importante porque, sem isso, eu teria sido demitido em várias ocasiões. Com certeza.”


“Em 2006, quando o Yahoo quis comprar nossa empresa, eu provavelmente teria sido demitido e teríamos vendido a empresa. Nós nem estaríamos aqui se eu não tivesse controle. E então, durante todo o tempo, fomos capazes de focar as coisas certas a longo prazo, seja passando por nosso IPO e focando na criação dos produtos móveis certos, em vez de focar apenas na monetização e na inserção de anúncios.”


Governo dos EUA não o intimida

“Você tem alguém como Elizabeth Warren que pensa que a resposta certa é separar as empresas […] se ela for eleita presidente, eu apostaria que teremos um desafio legal e apostaria que venceremos o processo legal. E isso ainda é péssimo para nós? Sim. Quero dizer, eu não quero ter um grande processo contra nosso próprio governo […] Mas veja, no final do dia, se alguém vai tentar ameaçar algo que existencial, você vai para o tatame e luta.”


Tentando aplacar a ameaça do Tik Tok

“Temos um produto chamado Lasso que é um aplicativo independente em que estamos trabalhando, tentando ajustar o mercado do produto em países como o México […] Estamos tentando primeiro ver se conseguimos fazê-lo funcionar em países onde o TikTok ainda não é grande antes de competirmos com o TikTok nos países em que ele é grande.”


Twitter também foi alvo de comentários

“É por isso que o Twitter não pode fazer um trabalho tão bom quanto possível. Quero dizer, eles enfrentam, qualitativamente, os mesmos tipos de problemas. Mas não podem investir. Nosso investimento em segurança é maior que toda a receita da empresa [ risos ] E sim, estamos operando em uma escala maior, mas não é como se eles enfrentassem questões qualitativamente diferentes. Eles têm todos os mesmos tipos de problemas que nós.”